Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Documentário produzido pela Epagri retrata o cotidiano dos pescadores de tainha na Capital

O curta-metragem será lançado nesta sexta-feira e foi gravado nas praias da Lagoinha do Norte e Campeche

Redação ND
Florianópolis
27/06/2018 às 22H35

O documentário “É tempo de tainha”, que retrata a pes­ca artesanal na modalidade cerco de praia, será lançado nesta sexta-feira (29), no Dia do Pescador, pela Epagri (Empresa de Pes­quisa Agropecuária e Exten­são Rural de Santa Catarina). O lançamento será às 18h30, no rancho do Getúlio, na praia do Campeche. O vídeo, de 15 minutos, foi produzido pelo departamento de marketing e comunicação da Epagri.

Comunidade ajuda a puxar as redes cheias de tainha - Epagri/Divulgação/ND
Comunidade ajuda a puxar as redes cheias de tainha - Epagri/Divulgação/ND


As gravações foram fei­tas em Florianópolis, nas praias da Lagoinha do Norte e Campeche, e acompanham o dia a dia dos pescadores. Eles aguardam o ano inteiro para a chegada da safra da tainha, um dos mais impor­tantes recursos pesqueiros do Sul do Brasil.

A pesca ocorre no litoral entre os meses de maio e ju­lho. Os peixes saem em cardu­mes migratórios da Lagoa do Patos, no Rio Grande do Sul, e no outono, com a entrada das frentes frias, buscam águas mais quentes para desovar em direção ao Norte. Na costa catarinense, os barcos fazem o cerco aos peixes e as redes são puxadas pelos pescadores na praia. “A pesca da tainha vem de gerações, começou com meu avô, passou para o meu pai e hoje, como filho, eu venho no mesmo caminho, seguindo a tradição para não perder nossa cultura”, conta Pedro Aparício Inácio, presi­dente da Associação de Pes­cadores Artesanais do Cam­peche e um dos personagens do documentário.

Os pescadores falam da importância da pesca ar­tesanal da tainha para as comunidades locais e mos­tram como ocorre o cerco de praia. Tudo começa com o vigia, também chamado de olheiro, que avista os car­dumes do alto dos costões e em seguida sinaliza para o grupo que está de prontidão na praia. Rapidamente os barcos entram no mar e os pescadores jogam as redes, fazendo o cerco aos peixes.

Quando as tainhas são capturadas, com lanços que chegam a ultrapassar 10 mil peixes, toda a comunidade ajuda na puxada das redes. “Para nós a pesca mais boni­ta é a da temporada da tai­nha. Os vigias apitando lá na pedra, os barcos soltando as redes e quando os peixes che­gam na praia vêm muitos aju­dantes. É um momento emo­cionante”, diz no vídeo Danir Mamedes da Silva, pescador na Lagoinha do Norte.

“É tempo de tainha” foi gravado no Campeche e na Lagoinha do Norte - Epagri/Divulgação/ND
“É tempo de tainha” foi gravado no Campeche e na Lagoinha do Norte - Epagri/Divulgação/ND


Show de imagens

Além de documentar a pesca da tainha, uma tradição tão antiga e estimada pelos moradores do litoral catari­nense, o vídeo da Epagri ofere­ce um show de belas imagens. As tomadas são aéreas e tam­bém feitas das praias ou em embarcações, que revelam lin­dos ângulos de Florianópolis.

O roteiro e a direção do “É tempo de tainha” são de Eonir Teresinha Malgaresi, as ima­gens, inclusive de drone, são de Jonatan Jumes, e a edição é de Antonio Azevedo e Sebastião de Góis. Estevan Orben e Eduardo Mayer fazem parte da equipe de apoio. Os extensionistas da Epagri em Florianópolis, Phili­pe Medeiros da Costa e Cristina Ramos Callegari, deram supor­te técnico de conteúdo e apoia­ram na organização das comu­nidades para as gravações.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade