Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Detentas terão formação em culinária em Florianópolis

Projeto Cozinha Solidária é inédito no Estado

Keli Magri
Florianópolis

Uma reunião técnica com a presença do ministro do Trabalho, Manoel Dias, na tarde da última sexta-feira, deu o pontapé inicial ao projeto inédito no Estado: a implantação de uma cozinha industrial dentro do Presídio Feminino de Florianópolis. O projeto denominado Cozinha Solidária funcionará como uma escola para 40 das 150 detentas da unidade e oferecerá formação técnica por meio do Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao ensino Técnico e Emprego).

A presença do ministro foi para conhecer ao espaço destinado ao projeto e assinar simbolicamente (já foi assinado em 17 de novembro) o Termo de Cooperação Técnica entre município, Estado e União para implantação da cozinha.

Toda a obra do projeto não terá verba pública e, por isso, leva o nome de Cozinha Solidária. Serão 49 m² de construção erguidos pelos próprios detentos, com material doado pelo Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil de Florianópolis) e eletrodomésticos doados pelo Instituto Consulado da Mulher. A planta do projeto foi concluída por uma arquiteta do Ministério do Trabalho.

Segundo a diretora do Presídio Feminino da Capital, Bianca Calil Guimarães, as obras devem iniciar imediatamente e a previsão é que em dois meses estejam concluídas. “É um projeto de formação técnica para que as detentas possam montar o seu próprio negócio quando deixarem o presídio”, afirmou. 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade