Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Desfile da Dascuia é marcado pelo acidente com destaque em carro alegórico

Com mais de 900 componentes, escola do Morro do Céu desfilou com 19 alas e dois carros alegóricos. Desfile foi perfeito até os 60 minutos, quando o diretor de fantasia Valmir Silva sofreu acidente

Redação ND
Florianópolis
11/02/2018 às 17H53

Com o samba "Nas memórias de um Griot, surge sua Majestade - O samba e o reino da pequena África", a Dascuia abriu o desfile de Carnaval de Florianópolis neste sábado (10) na passarela Nego Quirido. O enredo destacou o início do ritmo samba na África em meio à escravidão, o esplendor do Reino da Pequena África, no Rio de Janeiro, e o envolvimento de Altamiro José dos Santos, o Seu Dascuia, com o Carnaval da capital catarinense. O fato negativo no desfile foi o acidente com o diretor de fantasia Valmir Silva, que estava como destaque do segundo carro alegórico e caiu de uma altura aproximada de cinco metros.

>> Carnaval 2018: seis espetáculos tomaram conta da passarela Nego Quirido

Dascuia homenageou a origem do samba na África e no Rio de Janeiro e a história de Altamiro José dos Anjos, o Seu Dascuia - Daniel Queiroz/ND
Dascuia homenageou a origem do samba na África e no Rio de Janeiro e a história de Altamiro José dos Anjos, o Seu Dascuia - Daniel Queiroz/ND


Segundo o vice-presidente Vilson Calixto, a escola da comunidade do Morro do Céu desfilou com mais de 900 componentes divididos em 19 alas e dois carros alegóricos. A escola empolgou os foliões, apesar da garoa fina no momento do desfile. A bateria do mestre Eduardo Calixto, o Dudu, que comanda a Irritada, com mais de 150 integrantes, levantou a plateia. 

A rainha de bateria Vanessa Martinelli mostrou que tem samba no pé e esbanjou charme na passarela. Os integrantes da escola cantaram o samba do início ao fim do desfile. As fantasias deram um brilho especial ao desfile e retrataram a realidade dos povos africanos. "O menino da comissão de frente é do balé da escola Bolshoi, de Joinville, que deu um grande show na passarela", afirmou o vice-presidente Vilson Calixto. 

O fato negativo aconteceu aos 60 minutos, quando a estrutura em que estava um destaque caiu do segundo carro alegórico. O diretor de fantasia Valmir Silva precisou de atendimento médico na passarela. A bateria teve de esperar a retirada do destaque, que precisou ser retirado de maca até o centro médico da passarela. Mesmo com o incidente, a Dascuia completou o desfile com 69 minutos.

Após a escola passar pela dispersão, o presidente Altamiro José dos Santos Júnior abandonou o clime de euforia dos foliões e foi ao encontro do diretor de fantasia. Valmir foi hospitalizado e teve uma lesão no quadril, mas passa bem. "Ele é um grande amigo nosso e não tenho como comentar o desfile. Estamos preocupados com o nosso destaque", contou o presidente.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade