Publicidade
Terça-Feira, 11 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 20º C

Demolida a casa de Max Hablitzel, produtor de orquídeas e bromélias na Fazenda do Max, em São José

Casarão centenário estava em processo de tombamento histórico por orientação do Ministério Público de Santa Catarina

Martha Ramos
São José
Janine Turco
No local onde ficava casarão construído em 1900 sobraram escombros

 

A história de São José está mais pobre depois que mais um casarão histórico do município foi derrubado na madrugada de sábado. A centenária casa onde vivia Max Hablitzel, o antigo dono das terras do bairro Fazenda do Max e proprietário do famoso orquidário que funcionou no local até junho deste ano foi demolido. Segundo a superintendente da Fundação de Cultura e Turismo, Rosa Maria da Silva Schmidt, o prédio foi construído em 1900 e estava em processo de tombamento, devido a uma recomendação do Ministério Público de Santa Catarina.

“São José não merecia esse presente de Natal”, lamentou a superintendente. Ela conta que a fundação já está procurando uma orientação do Ministério Público para decidir que encaminhamentos serão feitos, e se alguém será punido pela demolição do prédio. “Ainda não sabemos por que isso aconteceu, e se os proprietários irão vender o terreno”, declarou Rosa.

A casa de Max Hablitzel, de 87 anos, fica ao lado da construção do Continente Park Shopping, à margem da BR-101 no terreno onde também ficava o orquidário de propriedade de Max, que chegou a ter 21 mil hectares de extensão e ficou conhecido como uma das maiores coleções de bromélias e orquídeas do mundo. A área onde está sendo construindo o empreendimento pertencia à família Hablitzel.

A reportagem do Notícias do Dia esteve no local e tentou contato com familiares de Max Hablitzel para saber os motivos da demolição, mas até o fechamento desta edição não obteve sucesso.

 

Divulgação
Como era. Imagem do antigo casarão fica registrado apenas nas fotos 

 

Prefeitura lançou Cartilha do Patrimônio Histórico recentemente

A derrubada do prédio onde funcionava do orquidário na Fazenda do Max aconteceu no mesmo mês em que foi lançada a Cartilha do Patrimônio Histórico de São José. Com tiragem inicial de três mil exemplares, a cartilha onde todos os prédios de São José tombados pelo Decreto nº 18.691/2005 podem ser consultados. Essa foi uma iniciativa da Prefeitura de São José que visa dispor sobre a proteção do patrimônio histórico, além de apontar os direitos e deveres dos proprietários dessas construções.

Entreposto Comercial da Praia Comprida também foi derrubado

O Entreposto Comercial da Praia Comprida foi demolido em 2010 com a intenção de no local ser construído o estacionamento do Clube Maré Alta, no bairro Praia Comprida, em São José. O promotor de justiça Raul de Araújo Santos Neto entrou no início deste mês com processo criminal a fim de punir os responsáveis por demolir o casarão tombado pelo Patrimônio Histórico. “O prédio foi tombado em 2005 e por isso os proprietários não poderiam fazer nada no local sem ter o licenciamento da prefeitura”, disse o promotor.

 

 

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade