Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Conheça a rota dos sabores coloniais ao pé da Serra catarinense

Com a chegada da estação mais fria do ano, que tal visitar os cafés coloniais de Rancho Queimado. No caminho, há armazéns com produtos da terra

Marciano Diogo
Florianópolis

O inverno chega oficialmente no próximo fim de semana e, com o frio, as praias do Litoral já não são tão acolhedoras. Dentro da região da Grande Florianópolis é possível aproveitar momentos agradáveis que combinem com a estação do ano. No pé da Serra catarinense, entre Palhoça e Rancho Queimado – cerca de 50 quilômetros da Capital – há uma rota gastronômica, com aconchegantes cafés coloniais e armazéns que oferecem produtos da terra e deliciosas comidas caseiras entre paisagens admiráveis.

No aconchego da lareira

Marco Santiago/ND 
Lilian e a mulher Scarlet aprovaram o cardápio do Café Schmitz  


Ao chegar em Rancho Queimado, o Café Schmitz recebe os clientes com o calor aconchegante de uma lareira. O buffet, que comporta até 55 pessoas, conta com uma grande variedade de pães, tortas, bolos e doces caseiros. “As sopas estão entre os pratos que as pessoas mais gostam. Fazemos tudo aqui na casa, temos uma doceira de mão cheia. A proposta é oferecer comidas derivadas de produtos coloniais, sempre frescos”, contou Gilson Schmitz, que construiu a casa com inspiração arquitetônica alemã, especialmente para montar o café colonial.

De acordo com Gilson, a maioria dos clientes do café vem do Litoral catarinense. “As pessoas procuram sabores distintos em passeios diferentes, e costumam ficar no mínimo duas horas na casa, porque comem com calma e apreciam bons pratos, sempre curtindo em família ou amigos”, relatou o empresário. Lilian Georgia e a mulher Scarlet Carolina, juntamente com os filhos Lucas e Rafaela, confirmam o depoimento de Gilson. “Moramos em Palhoça e procurávamos fazer um passeio diferente. Quatro amigos nos indicaram esse café colonial, então viemos sem pensar duas vezes. A comida é muito saborosa e local é acolhedor”, afirmou Lilian.

:: Café Schmitz - km 55 da BR-282, Rancho Queimado. Especialidade da casa: buffet de sopas, queijos, doces caseiros, bolos, pães, linguiças, salames, salgados e vinhos. Abre sexta-feira das 17h às 22h, sábado e domingo, das 9h às 21h. Preço: R$ 28.

Ponto de passagem para o Planalto

Marco Santiago/ND
Armazém tem como carro chefe a venda de vinhos e massas caseiras


Em direção à Serra, ao entrar na BR-282, em Palhoça, já é possível perceber o que o caminho vai proporcionar. O Engenho Boca da Serra conta com variedades de queijos coloniais, vinhos e biscoitos. “As pessoas compram bastante o pé de moleque, o biscoito de coco e o de biju, feito de farinha de mandioca. O buffet de salgados caseiros também faz bastante sucesso. O pessoal frequenta mais porque já somos um ponto conhecido de passagem para a Serra catarinense, por isso o nome”, contou o dono do armazém, Delmar Brock.

O armazém de Delmar atrai centenas de turistas e também moradores da região todos os dias. “Tínhamos a opção de ir para a Ilha ou subir a Serra, e com esse friozinho optamos por fazer um programa de lazer diferente. Já frequentamos o Boca da Serra e gostamos daqui pela variedade, as crianças gostam muito por causa dos doces”, contou Ana Paula Ezequiel Vicente, que costuma frequentar o estabelecimento com o marido e os dois filhos.

:: Engenho Boca da Serra - km 17 da BR-282, Palhoça. Especialidade da casa: queijos, salames, salgados, doces e biscoitos.

Tudo produzido de forma artesanal

Marco Santiago/ND
Gorete Folster  diz que os produtos  mais procurados em seu armazém são queijos, mel e melado


Em Santo Amaro da Imperatriz, nas margens da BR-282, é possível encontrar o empório Sabores da Terra. O local, que conta com um mirante que proporciona uma visão panorâmica para as belas montanhas da região, oferece uma infinidade de vinhos, doces, queijos coloniais, mel, melados, e pães de milho, aipim e batata. “Também temos um buffet de comida caseira. Mas o que mais faz sucesso é o queijo, o mel e o melado, produzidos artesanalmente aqui na região de Santo Amaro”, confirmou Gorete Folster, dona do armazém. 

:: Sabores da Terra - km 40 da BR-282, Santo Amaro da Imperatriz. Especialidade da casa: Mel, melado, doces, queijos coloniais, bolos, pães e vinhos.

Café ao som de música germânica

Marco Santiago/ND
Luciana, acompanhada do marido Felipe, apreciaram os quitutes no Kaffehaus Westphal 


No Centro de Rancho Queimado, o café colonial Kaffehaus Westphal recebe há 18 anos os clientes ao som de música germânica e vinhos coloniais. “Nosso diferencial é oferecer os produtos na mesa, em tábuas e bandejas, diferentemente do buffet. Os queijos, salames, linguiças, bolos e strudels são muito apreciados. As pessoas também procuram bastante a torta de morango, visto que Rancho Queimado é conhecida como a capital catarinense da fruta”, disse Ino Guilherme Westphal, dono do café colonial que comporta até 104 pessoas.

“No inverno, temos lista e fila de espera, e acreditamos que neste ano não será diferente, diante da previsão de frio rigoroso”, relatou Ino, que confirma também que o feriado de Corpus Christi é o de mais movimento da casa, juntamente com o Dia das Mães.

No Kaffehaus Westphal também é vendido uma variedade de artesanatos e geleias caseiras, todos feitos por funcionários da casa. Além dos produtos, na casa também é oferecido o serviço de fotos, para as pessoas fazerem o registro do passeio. Custa R$ 10 e a impressão sai na hora. “Moramos na Capital e estamos hospedados em um hotel na cidade. Não pudemos deixar de tirar a foto para lembrança e levar geleias para os amigos. A comida aqui é deliciosa”, concluiu Adriana dos Santos, acompanhada do marido Felipe.

:: Café colonial Kaffehaus Westphal - Centro de Rancho Queimado. Especialidade da casa: bolos, cucas, tortas, geleias, pães, salgados, doces e vinhos. Sábado, domingo e feriados, das 11h às 21 hs, segunda à sexta feira das 13h às 20h. Preço: R$ 32.

Pratos à base de milho

Marco Santiago/ND
Na Delícias do Milho, a combinação mais pedida é a de pamonha com caldo de cana 


Na BR-282, próximo ao trevo de entrada de Santo Amaro da Imperatriz, a Pamonharia Delícias do Milho, leva diversas pessoas a apreciarem o prato que leva o nome do estabelecimento. “Para acompanhar nossa pamonha, que é 100% natural, as pessoas gostam de um bom caldo de cana. Também vendemos muito os pães e bolos de milho”, relatou o proprietário do estabelecimento Deangeli Camargo. “Como estávamos hospedados em um hotel de águas termais em Santo Amaro da Imperatriz, paramos aqui no retorno, e não nos arrependemos”, afirmou Nuno Costa, acompanhado da filha Laura.

:: Pamonharia Delícias do Milho - km 23 da BR-282, Santo Amaro da Imperatriz. Especialidade da casa: Pamonha doce, salgada, cachaça, caldo de cana, bolos e pães.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade