Publicidade
Quinta-Feira, 18 de Janeiro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 25º C

Defesa Civil contabiliza prejuízos causados pela chuva em 23 cidades de Santa Catarina

Até o fim da tarde desta sexta-feira (12) mais de 1700 pessoas estavam desalojadas no Estado por causa de alagamentos e risco de deslizamentos

Redação ND
Florianópolis
12/01/2018 às 22H43

A Secretaria de Defesa Civil de Santa Catarina divulgou no fim da tarde desta sexta-feira (12) o relatório atualizado com dados referentes aos efeitos da chuva no Estado. Até o momento, foram registradas três mortes, uma em São João Batista, duas em Florianópolis, e um desaparecimento em Balneário Camboriú.

A secretaria informa que 23 municípios de Santa Catarina registraram ocorrências devido a chuva, dois a mais do que o divulgado pela manhã. O número de desalojados também aumentou. No total, 1749 pessoas tiveram que deixar suas casas e procurar abrigo com amigos e familiares e cerca de 160 pessoas estão desabrigadas.

Milena Carvalho contou que não conseguiu dormir preocupada com a chuva - Daniel Queiroz/ND
Chuva deixou moradores de Florianópolis assustados por conta dos alagamentos - Daniel Queiroz/ND

Em Florianópolis, foram distribuídos quatro mil litros de água, 140 kits de limpeza, 170 kits de higiene pessoal, 100 cestas básicas, 300 colchões e 300 kits de acomodação. O número de pessoas desabrigadascontinua em 150 na Capital, onde os abrigos da prefeitura permanecerão abertos durante o fim de semana.

Além dos R$3 milhões disponibilizados pelo Estado para auxiliar na recuperação dos prejuízos da chuva, o secretário Nacional de Defesa Civil, coronel Renato Newton Ramlow, confirmou que o governo federal também destinará recursos para a recuperação dos locais afetados em Florianópolis. Os valores, no entanto, ainda não foram informados.

A prefeitura está recebendo doações para destinar aos fetados pela chuva. Os itens de mais necessidade agora são kits de higiene, roupas e alimentos não perecíveis. O município alerta que as doações devem ser feitas diretamente nas intendências e nos CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) dos bairros.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade