Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Defesa Civil alerta para novo temporal nesta quarta-feira em Santa Catarina

Chuva mais intensa deve acontecer na Grande Florianópolis, Vale do Itajaí e Litoral Norte, acumulando total de 60 a 80mm em 12 horas

Redação ND
Florianópolis
24/01/2018 às 18H20

A Defesa Civil de Santa Catarina alerta para os temporais de verão, que estão previstos para todas as regiões entre a tarde e a noite desta quarta-feira (24). A chuva mais intensa deve acontecer na Grande Florianópolis, Vale do Itajaí e Litoral Norte, acumulando total de 60 a 80mm em 12 horas. Também nesta quarta, a Defesa Civil Municipal realizou um levantamento nas regiões atingidas pelo temporal de terça-feira (22).

Rajadas de vento derrubaram árvores próximas da Reitoria da UFSC no campus da Trindade, em Florianópolis - Marco Santiago/ND
Rajadas de vento derrubaram árvores próximas da Reitoria da UFSC no campus da Trindade, em Florianópolis - Marco Santiago/ND

A chuva desta terça deixou rastros por onde passou nos municípios de Santa Catarina. A precipitação estava prevista e começou no final do dia. O levantamento preliminar aponta pelo menos 16 residências com danos. Alagamentos, vendaval, chuva forte e queda de árvores foram registrados e houve também queda de energia elétrica em algumas cidades do Estado.

No bairro Trindade, em Florianópolis, o vento forte derrubou 11 árvores entre o prédio da Reitoria e a Biblioteca Central do campus da UFSC. Segundo o engenheiro agrônomo da PU (Prefeitura Universitária), o nível do lençol freático está elevado devido às chuvas e por esse motivo o solo fica cada vez mais encharcado e desestabiliza as árvores. O secretário de Obras, Manutenção e Ambiente da universidade, Paulo Roberto Pinto da Luz destaca que a prioridade agora é limpar e liberar o local.

Os ventos máximos registrados pelas estações da Epagri/Ciram foram de 89 km/h em Chapecó e 79 km/h em Caibi, na região Oeste, 81 km/h em Água Doce, no Meio-Oeste, 59 km/h em Lages, 74 km/h em São José e 55 km/h em Florianópolis.

No litoral Norte, foi registrado vendaval em São Francisco do Sul. Segundo informações da Defesa Civil municipal, o temporal causou quedas de árvores sobre casas, via pública e rede elétrica. Cerca de cinco mil consumidores ficaram sem energia elétrica por determinado período e 60 edificações tiveram destelhamentos. Parte da BR-280 ficou interditada devido as árvores na pista.

No Oeste também teve registro de vendaval. Em Marema, por exemplo, o vendaval destruiu parcialmente uma residência e deixou outras três danificadas. Uma idosa, de 70 anos, teve ferimentos leves e foi conduzida pelos bombeiros de Xaxim ao hospital mais próximo. A Defesa Civil estadual distribuiu lonas aos afetados. A guarnição do Corpo de Bombeiros de Quilombo também auxiliou na ocorrência.

Ainda no Oeste, houve também registro de destelhamentos em Chapecó. Conforme o apontamento preliminar do Coordenador Regional da Defesa Civil, dez casas tiveram destelhamentos. Em Vargeão, foram registrados dois pontos de alagamentos. A Defesa Civil de Santa Catarina distribuiu lona aos afetados.

Na Grande Florianópolis, a chuva também causou transtornos no final do dia. De acordo com o Coordenador Regional da Defesa Civil, diversos municípios tiveram pontos de alagamentos. São José e Palhoça tiveram casas destelhadas. Em Balneário Camboriú, a chuva intensa causou alagamentos nos bairros e o vento derrubou árvores sobre as residências. Conforme o relato do coordenador da Defesa Civil da região, 30 imóveis tiveram danos.

Previsão do Tempo

Estão previstas, novamente, pancadas de chuva com trovoadas e temporais localizados entre a tarde e a noite desta quarta-feira em todas as regiões do Estado. Além do calor intenso, vento continua forte, com rajadas acima de 60 km/h, e há possibilidade de granizo isolado. Apesar da curta duração, a chuva pode ser muito intensa, acumulando pontuais de 30 a 60mm em uma hora. 

Recomendações da Defesa Civil de Santa Catarina

Alagamentos ou inundações: evitar o contato com a água e não dirigir em lugares alagados. Evitar transitar em pontilhões e pontes submersas e cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

Deslizamentos de terra: deve ser observado qualquer movimento de terra ou rochas próximas as residências, inclinação de postes e árvores e rachaduras em muros ou paredes. Neste caso, é recomendável que os moradores saiam de casa e acionem a Defesa Civil Municipal 199 ou Corpo de Bombeiros 193.

Tempestades com raios, ventos fortes e granizo: procurar proteção em local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. Se não encontrar um abrigo, agache-se com os pés juntos, com a cabeça encostada em seu peito ou entre os joelhos e as mãos cobrindo suas orelhas ou apoiadas em seus joelhos. Se estiver na praia, jamais fique na água. Não olhe para o raio. Se estiver em casa ou qualquer outro local abrigado, desligue os aparelhos eletrônicos, não use o telefone, fique longe das janelas e lembre-se, o banheiro em alvenaria é o melhor local durante uma tempestade.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade