Aecio
"A decisão do Supremo não só reconhece que a terceirização não precariza, como também deixou assegurado de forma expressa uma responsabilidade subsidiaria da empresa que toma o serviço." Ora, , o que precariza é a ação do empresário, como é histórico desde a idade média. Hoje estamos voltando àquela época . Isto, combinemos, é o céu do empresariado, um empregado com medo de perder o seu precário emprego. Nos EUA este sistema produziu mais de 60 milhões de pobres vivendo em trailers velhos ( lá a favela é um pouquinho diferente mas não menos lamentável). Neste sistema de trabalho você não pode planejar a vida e aí vem a desesperança e o desespero. Se isto for somado a um aparato de repressão do estado e à colaboração da justiça com o estado ( ao estilo das antigas guardas pretorianas) , o trabalhador volta a ser escravo na verdadeira acepção da palavra. O próximo passo é matar, por inanição, a justiça do trabalho. Aí fechou !