Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Cultura indígena é destaque na Fundação Franklin Cascaes

Simpósio discute preconceitos e qualificação do artesanato

Mônica Amanda Foltran
Florianópolis

Florianópolis. Lutar contra o preconceito, divulgar a tradição indígena e vender seus produtos são temas de discussão no simpósio promovido pela FCFFC (Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes) e que ocorre deste ontem na Capital. Visitantes poderão apreciar as fotos, trabalhos manuais e conversar com os índios que estarão presentes na sede da fundação para mostrar e contar sobre a cultura das tribos.  O preconceito sofrido pelos índios que, muitas vezes, são confundidos com mendigos nas ruas de Florianópolis e encontram barreiras para vender seus produtos é um dos temas a serem debatidos no simpósio “Mbyá Rembiapo – Plano de Ação Integrada para Valorização da Cultura e Comercialização do Artesanato Mbyá-Guarani de Florianópolis”.  A iniciativa, promovida pela Prefeitura da Capital, tem o objetivo de construir parcerias para viabilizar programas e projetos para qualificar e dinamizar a produção do artesanato indígena. Cestos, balaios, esculturas e adornos estarão expostos no Forte de Santa Bárbara, até esta quinta-feira. Na tarde de ontem crianças de escolas da Capital puderam conhecer a cultura indígena de perto, bem como, participar das oficinas coordenadas por integrantes das comunidades Mbyá-Guarani, envolvendo brincadeiras, jogos, histórias canto, dança e confecção de artesanato.  O superintendente da FCFFC, Rodolfo Joaquim Pinto da Luz, destaca que é a primeira vez que a iniciativa é realizada em conjunto com órgãos públicos municipais e entidades envolvidas com a questão indígena. “A expectativa é encontrar soluções para a divulgação da arte indígena e conseguir apoio para a produção dos trabalhos”, avalia. A entrada é gratuita e aberta a escolas também, que podem agendar horários para visitação. Nesta quinta-feira, das 14h às 18h, representantes de instituições municipais, estaduais e federais e lideranças indígenas Mbyá-Guarani estarão reunidos na Casa da Memória, Centro da cidade,  para uma reunião de trabalho.

Saiba mais sobre a cultura

A sociedade Mbyá-Guarani pertence à família Tupi-Guarani e adota o dialeto Mbyá. Os Guarani estão subdivididos em três grupos étnicos: Ñandeva (Xiripá), Kayová pó Pai e os Mbyá, que têm uma história milenar, segundo a tradição oral da tribo. Para os Mbyá-Guarani, os deuses criaram os homens e deram a eles o conhecimento para viver em comunidade, com harmonia nas aldeias (Tekoas) e acreditam que o universo está povoado em parte por almas sagradas e também por almas perigosas. Os Mbyá-Guarani  possuem uma forte espiritualidade, onde a cultura se expressa por meio de rituais e da transmissão do conhecimento com base na oralidade. Os índios dessa etnia buscam a “Terra Sem Males”, o paraíso onde será possível viver na plenitude dos costumes e da tradição, respeitando a harmonia com a natureza.

Serviço:

O Quê: Simpósio “Mbyá Rembiapo - Plano de Ação Integrada para Valorização da Cultura e Comercialização do Artesanato Mbyá-Guarani de Florianópolis

Quando: quarta e quinta-feira (27 e 28/04)            

Onde: Forte Santa Bárbara – sede da Fundação Franklin Cascaes

           *Abertura do simpósio na quarta-feira (27/04), às 18h30

          *Exposição fotográfica, comercialização de produtos e oficinas de arte indígena na quarta e quinta-feira (27 e 28/04) – das 9h às 18h

Quanto: gratuito

Informações e agendamento de visitas: (48) 3324 1415

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade