Publicidade
Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 20º C

Corpo de vigilante desaparecido enquanto pescava é encontrado em Coqueiros

Vigilante de Blumenau estava desaparecido desde a noite de domingo, quando decidiu sair sozinho para pescar

Colombo de Souza
Florianópolis
12/03/2018 às 16H07
Enquanto um grupo de pessoas fazia as buscas, outro ficava no rancho aguardando notícias - Colombo de Souza/ND
Enquanto um grupo de pessoas fazia as buscas, outro ficava no rancho aguardando notícias - Colombo de Souza/ND


Uma guarnição do GBS (Grupamento de Busca e Salvamento) do Corpo de Bombeiros Militar resgatou, no início desta segunda-feira (12), o corpo do vigilante Ademir Helmann, 65 anos, que saiu para pescar na noite de domingo (11) na Praia do Meio, em Coqueiros, Florianópolis. Ademir morava em Blumenau e veio pescar na Capital com o irmão Paulino, 59, e amigos. Ele deixou a mulher, dois filhos casados e um neto.

Quando vinha a Florianópolis, Ademir ficava no rancho de pesca do amigo, o professor Valmir Francisco Jorge, 63. O irmão contou que chegaram à Capital às 9h de domingo. Almoçaram e logo em seguida saíram na canoa rumo a baía . “Ele amava o mar, quando não vinha para Florianópolis, pescava em rios no Vale do Itajaí”, contou Paulino.

O irmão disse que os três chegaram da pescaria, na Baía Sul, no final da tarde, e ficaram conversando no rancho. “Já passava das 21h30 quando Ademir nos convidou para retornar ao mar. Falei que já era muito tarde e podia ser perigoso. Mas ele insistiu: 'se ninguém quiser me acompanhar, vou sozinho'”. 

Paulino e o amigo permaneceram no rancho aguardando o vigilante, que não chegava. Quando o dia amanheceu, os amigos iniciaram as buscas. Uma guarnição do GBS também participou. Por volta das 10h, o professor Jorge e o sobrinho Juliano conseguiram encontrar somente o molite (material de pesca). A canoa e Ademir ainda não haviam sido encontrados.

Enquanto um grupo de pessoas continuava as buscas, outro ficava no rancho aguardando notícias. Somente por volta das 14h o corpo do pescador foi encontrado boiando na praia, a cerca de 400 metros da margem. Ademir foi levado para o IML (Instituto Médico Legal), onde passará por necropsia, para depois ser transladado e sepultado em Blumenau.

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade