Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Convenção Nacional do PMDB, em Brasília, reforça pedido de afastamento de Dilma da presidência

O partido, que anunciou rompimento com o Governo Federal, aprovou uma moção os peemedebistas a assumirem novos cargos no governo até que a sigla decida sobre o rompimento ou manutenção da aliança com a presidente Dilma Rousseff

Redação ND
Florianópolis

O PMDB realiza neste sábado (12), em Brasília, a sua Convenção Nacional, com o tema “Unidos pelo Brasil”. Os 454 convencionais do Partido, com direito a 655 votos, deverão eleger a nova Executiva Nacional e reconduzir Michel Temer à presidência da sigla. O partido, que anunciou rompimento com o Governo Federal, aprovou uma moção os peemedebistas a assumirem novos cargos no governo até que a sigla decida sobre o rompimento ou manutenção da aliança com a presidente Dilma Rousseff. A Convenção Nacional do PMDB também reforça o pedido de afastamento de Dilma da presidência através de moções.

A maior expectativa é sobre a decisão que poderá ser tomada, de permanência ou saída do PMDB do Governo Federal. Os trabalhos estão sendo presididos por Eliseu Padilha (RS), vice-presidente da Fundação Ulysses Guimarães.

Alexandro Albornoz/Arquivo ND
"É preciso ouvir o clamor das ruas e tomar uma atitude", disse Ada de Luca


O vice-presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), defendeu a independência com apoio aos projetos do governo. “Eu defendo a saída e a entrega dos cargos, mas não deixe de dar apoio a projetos importantes para o pais”, disse. Para Raupp, o rompimento radical não seria o melhor caminho. Entretanto, ressaltou que “se o Partido quiser ter uma candidatura própria em 2018, não pode continuar atrelado ao governo”.

Sobre a composição da Executiva Nacional, Raupp adiantou ainda que não permanecerá na vice-presidência, que deverá ser ocupada pelo senador Romero Jucá (RR). Segundo Raupp, ficou acertado que haverá um rodízio tem “convicção de que o país não conseguirá sair dessa situação com a atual presidente. Espero que os senhores deputados abram o impeachment tão logo o STF decida sobre o rito, para que o Senado possa tomar sua posição e possamos virar essa página”, disse.  

Na sexta-feira (11), o desembarque do governo da presidente Dilma Rousseff (PT) também foi defendido pelo PMDB Mulher e a Juventude do PMDB de Santa Catarina , nas convenções nacionais dos segmentos.

Os dois grupos, liderados pela deputada Ada De Luca (SC) e por Daniel Hostin (SC), apresentaram moções onde pedem o afastamento imediato da administração e a independência do PMDB, diante da crise econômica e política instalada no País.

No documento, que também será apresentado na convenção nacional do partido, nesse sábado, eles também falam em fortalecer a unidade em torno do vice-presidente Michel Temer.

“As mulheres e os jovens, a população em geral, está revoltada com a atual situação do Brasil. É preciso ouvir o clamor das ruas e tomar uma atitude”, destacou a deputada Ada.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade