Publicidade
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 19º C

Contemplar a superlua vira evento do feriado em diversos pontos de Florianópolis

Na Beira-Mar Continental, centenas se reuniram para tirar fotos, apreciar e olhar a lua em detalhes com telescópios

Felipe Alves
Florianópolis
15/11/2016 às 15H01
Centenas de pessoas se reuniram na avenida Beira-Mar Continental, no Estreito - Joyce Reinert
Centenas de pessoas se reuniram na avenida Beira-Mar Continental, no Estreito - Joyce Reinert


Ao redor do mundo os olhos estavam voltados para o céu na noite desta segunda-feira (14) para ver o fenômeno da superlua. Em Florianópolis, as nuvens abriram espaço e, logo após as 20h, a lua cheia apareceu imponente, maior e mais brilhante do que o normal. O momento de contemplação virou o evento da véspera do feriado em diversos pontos da cidade, como a avenida Beira-Mar Continental, no Estreito, onde centenas de pessoas se reuniram.

Com tripé montado à beira do mar, a bioquímica Lusiane Lesuk, 51 anos, saiu da Trindade e foi ao Estreito para garantir o melhor ângulo. “Tinha que vir registrar esse momento e guardar de recordação”, disse. Ao longo da Beira-Mar, o público fez fila para analisar a lua em detalhes com o auxílio de telescópios. “Foi um momento muito bonito”, resumiu o estudante Emanuel Gonçalves, 19, que foi com a família.

Diferente de quem viu a lua a olho nu, quem observou por telescópio pôde analisar mais detalhes. “Com o telescópio é possível ver várias nuances, como os relevos, as crateras e as sombras da lua”, explicou o doutor em física Marcelo Girardi Schappo. Professor do IFSC (Instituto Federal de Santa Catarina), Schappo levou os telescópios à Beira-Mar como parte de um projeto de extensão do instituto com o objetivo de aproximar a comunidade da ciência.

De acordo com o professor, a superlua é a coincidência de dois eventos. “Primeiro é a lua estar na órbita mais próxima da Terra (o chamado perigeu) e segundo é estar no máximo da fase cheia”, disse. O fenômeno em si, explica Schappo, não é tão raro (já aconteceu em outubro deste ano e voltará a acontecer em dezembro). O que tornou a superlua de 14 de novembro especial foi que o satélite terrestre estava no auge de seu perigeu, distante “apenas” 356.511 km da Terra.

Superlua em Naypyitaw, Myanmar - Divulgação
Superlua em Naypyitaw, Myanmar - Divulgação



SUPERLUA

>> A última vez que a superlua esteve tão próxima da Terra foi em janeiro de 1948

>> Ontem, a lua estava 365.508 km distante da Terra. Em 1948, a distância do perigeu foi de 356.462 km. Na média, a lua orbita a uma distância de 384.400 km da Terra

>> A próxima superlua será em 14 de dezembro de 2016, mas o fenômeno só voltará a acontecer com tanta intensidade quanto o desta segunda-feira em 25 de novembro de 2034

>> O ápice da superlua desta segunda no Brasil foi às 11h52, mas seu efeito pôde ser observado melhor durante a noite. 

      Publicidade

      0 Comentários

      Publicidade
      Publicidade