Publicidade
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 19º C

Conta de luz tem aumento de 13,15% para consumidores de Santa Catarina

Agência Nacional de Energia Elétrica divulgou novas tarifas que serão cobradas pela Celesc

Redação ND
Florianópolis
13/08/2018 às 20H41

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou nesta segunda-feira (13) o valor do Reajuste Tarifário Anual da Celesc Distribuição e apresentou as novas tarifas de energia elétrica na área de concessão da empresa. O efeito tarifário médio, que entrará em vigor a partir de 22 de agosto, será de 13,86%.

Segundo a Aneel, o impacto médio nas contas de luz será de 1,54% - Marcelo Camargo/Agência Brasil/Divulgação/ND
Efeito tarifário médio da energia elétrica será de 13,86%  - Marcelo Camargo/Agência Brasil/Divulgação/ND


Para os consumidores residenciais atendidos em baixa tensão, o chamado Grupo B, que representa 78% dos consumidores da empresa, o efeito médio a ser percebido do reajuste será de 13,15%.

Já para os consumidores atendidos em alta tensão, como indústrias e unidades comerciais de grande porte como shoppings, o chamado Grupo A, o efeito médio será de 15,05%.

Os itens que mais impactaram no cálculo do reajuste tarifário foram a elevação do custo com os encargos setoriais, que sofreram variação de 21,44% entre agosto de 2017 e julho de 2018, e o custo com a compra de energia, que sofreu variação de 11,06% no mesmo período. Esses valores representam, respectivamente, 4,77% e 5,08% na composição do efeito médio de 13,86%.

Também se destacam os componentes financeiros, em sua maior parte relacionados a despesas com compra de energia realizadas no ciclo tarifário anterior que ultrapassaram a cobertura tarifária prevista para o período, especialmente por conta do maior uso de geração térmica. Na composição do efeito médio de 13,86%, o item corresponde ao montante de 7,48%.

Já os valores referentes ao custeio dos serviços de distribuição, que equivalem a 13,6% do total da nova tarifa, e que são gerenciados pela Celesc para a ampliação, operação e manutenção do sistema elétrico, além das despesas operacionais da empresa, variaram 1,86% e contribuem com 0,37% para o efeito médio do reajuste aferido pela Aneel.

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade