Publicidade
Domingo, 18 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Obstrução do rio do Brás causa polêmica em Canasvieiras, no Norte da Ilha

Moradores do entorno dizem que a obra vai impedir o fluxo das águas para o mar aberto, mas os comerciantes locais aprovam a iniciativa da prefeitura

Colombo de Souza
Florianópolis
09/11/2018 às 20H37

O trabalho de um trator de esteira, que retira areia da praia de Canasvieiras e coloca na foz do rio do Brás, impedindo a fluxo da água para o mar aberto, está provocando polêmica na comunidade do Norte da Ilha. O aposentado Edson Laureano, 65 anos, que cuida de um camping ao lado da obra, contou que os montes de areia chegaram a quase dois metros de altura. “É um absurdo e pedi para o operador espalhar a areia”, disse.

Rio do Brás - Flavio Tin/ND
Flavio Tin/ND

O secretário-adjunto de Cultura, Esporte e Juventude da Capital, Edmilson Carlos Pereira Júnior, explicou que uma arena de esportes de praia está sendo construída na praia de Canasvieiras. Em toda a cidade serão dez, segundo Edmilson. “Já entregamos a [arena] da Beira-Mar e vamos construir outros espaços no Saco dos Limões e nas orlas das praias de Ingleses, Lagoa da Conceição e Barra da Lagoa”, afirmou”.

Segundo o secretário-adjunto, as arenas são espaços iluminados de 60 metros de extensão por 20 metros de largura para a prática de vôlei, futevôlei e futebol. A ideia, conforme Edmilson, é levar jovens e famílias para se divertirem nas arenas. Para ele, a construção da arena de Canasvieiras não vai fechar a foz do rio do Brás porque a obra ainda não está concluída.

O diretor regional da Acif (Associação Comercial e Industrial de Florianópolis) de Canasvieiras, Simoney do Nascimento, afirmou que os comerciantes do entorno apoiam a prefeitura. “Ali era comum mendigos morando em barraca”, argumentou.

Nascimento disse que o curso do rio do Brás foi desviado para a praia de Canasvieiras “pelo homem”. “Nasci na região de Canasvieiras e sempre pesquei no rio. Antigamente, ele desembocava na praia da Daniela”, afirmou.

Em janeiro de 2016, para evitar que a poluição do rio fosse para o mar, a prefeitura fez uma barreira de areia na foz, após registro de extravasamento de esgoto no leito que acabou influenciando na qualidade da água na praia de Canasvieiras. O problema refletiu no turismo daquela temporada.

Para o ex-presidente da Amocan (Associação dos Moradores de Canasvieiras) Sebastião dos Santos, a prefeitura fez “uma besteira”. Santos informou que ali sempre existiu um espaço para a prática de vôlei. A prefeitura tapou “boca do rio” que sempre desembocou na praia ao lado do trapiche. Segundo ele, a mudança do percurso para a Daniela foi feita pelo homem.

Técnicos da prefeitura afirmam que foram construídas estações de tratamento de esgoto nos rios do Brás e Papaquara. As impurezas passam por várias etapas até ser despoluídas e lançadas no Papaquara e na praia da Daniela. O problema, de acordo com o município, é que quando chove forte o rio do Brás enche e extravasa, lançando esgoto de ligações clandestinas.

Publicidade

6 Comentários

Publicidade
Publicidade