Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Conselho da Caixa poderá afastar todos os vice-presidentes do banco

O novo estatuto confere ao colegiado poderes para nomear e exonerar os executivos. Com isso, a atribuição deixará de ser do presidente da República

Folha de São Paulo
Brasília (DF)
17/01/2018 às 23H11

LAÍS ALEGRETTI E FÁBIO FABRINI/ BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O novo estatuto da Caixa deve prever que todos os vice-presidentes passem por avaliação do Conselho de Administração, de acordo com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. A expectativa é que o documento seja aprovado na próxima sexta-feira (19).

Meirelles afirmou nesta quarta-feira (17) que os oito vice-presidentes que não foram afastados passarão por um novo processo de avaliação. "A partir de agora, todos os vice presidentes serão avaliados tecnicamente nos termos do estatuto", disse.

O novo estatuto confere ao colegiado poderes para nomear e exonerar os executivos. Com isso, a atribuição deixará de ser do presidente da República.

"Todos os diretores terão que passar por critério de avaliação técnica e serem confirmados pelo conselho. O conselho vai analisar a situação dos oito diretores que não foram afastados, mas que serão analisados para saber se ficam ou não, e os que foram afastados apresentarão sua defesa", afirmou Meirelles.

O presidente Michel Temer decidiu nesta terça-feira (16) afastar por 15 dias quatro vice-presidentes da Caixa, após recomendação do Banco Central e do MPF (Ministério Público Federal). São eles: Deusdina dos Reis Pereira (Fundos de Governo e Loterias), Roberto Derziê de Sant'Anna (Governo), Antônio Carlos Ferreira (área Corporativa) e José Henrique Marques da Cruz, chefe da área de Clientes, Negócios e Transformação Digital.

O ministro da Fazenda foi questionado, ainda, sobre se deve haver uma reavaliação da necessidade de manter todas as vice presidências do banco e disse que a discussão pode ocorrer no futuro.

"O importante é definirmos prioridade. A questão número um do conselho é em relação aos quatro vice-presidentes que estão sujeitos a esse julgamento. Em segundo lugar, a avaliação dos demais vice-presidentes. Certamente, em determinado momento, sim, a estrutura é sempre objeto de discussão pra tornar a empresa cada dia mais eficiente", respondeu.

O anúncio da decisão de Temer de afastar os quatro vices ocorreu após a Folha de S.Paulo revelar que o Banco Central recomendou o afastamento deles. O pedido do BC foi encaminhado no dia 10 de janeiro à presidente do Conselho de Administração da Caixa, Ana Paula Vescovi, também chefe do Tesouro.

O Banco Central sugeriu que a Caixa Econômica Federal afaste os seus atuais vice-presidentes após investigações do próprio banco e do MPF apontarem suspeitas de corrupção e outras irregularidades envolvendo executivos da instituição. O Ministério Público pedia o afastamento dos 12 vices.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade