Publicidade
Sábado, 18 de Novembro de 2017
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 21º C

Confusão e erros em emendas adiam votação da LDO na Câmara de Florianópolis

Roberto Katumi alegou quebra de decoro por parte de Afrânio Boppré; vereador Lela não teve emendas apreciadas por Comissão

Fábio Bispo
Florianópolis
07/08/2017 às 22H42

As discussões e a votação das diretrizes que apontarão onde a Prefeitura de Florianópolis fará os principais investimentos em 2018, que estavam programadas para esta segunda-feira (7), acabaram adiadas. O presidente em exercício da Câmara de Vereadores, Roberto Katumi (PSD), suspendeu a sessão alegando falta de decoro por parte do vereador Afrânio Boppré (PSOL).

Câmara dos Vereadores de Florianópolis - Édio Hélio Ramos / CMF
As emendas do vereador Lela (PDT) foram protocoladas no prazo, mas não foram discutidas - Édio Hélio Ramos / CMF


No entanto, mesmo que a sessão prosseguisse dificilmente a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) seria levada à votação. Isso porque as emendas de redação propostas por um dos parlamentares sequer foi analisada pela Comissão de Orçamento, responsável pelo parecer técnico da matéria. As emendas do vereador Lela (PDT), que propõem 23% para Saúde e 4,5% para Cultura, Esporte e Lazer foram protocoladas no prazo, mas não foram discutidas.

O presidente da Comissão, vereador Gabriel Meures (PSB), disse que não sabe o que houve e que pode ter ocorrido algum problema entre a saída do documento do protocolo e a chegada para a comissão. “Não sei o que aconteceu, de fato”, disse. Uma reunião extraordinária da comissão deve ser realizada nesta terça-feira (8) para analisar o material faltante, para só então a LDO ser votada.

Antes, no início da sessão, os vereadores analisaram projeto de autorização ao programa “Badesc Cidades” para obras de infraestrutura. A discussão rolou em torno da não listagem das obras que seriam beneficiadas. O projeto restou aprovado por 15 votos favoráveis e cinco abstenções.

Os parlamentares da oposição desejaram fazer declaração de voto, após a aprovação da matéria, e Katumi apontou Afrânio de estar nominando quem falaria para poder falar por último e decidiu que as falas seriam feitas por sorteio. Neste momento, começou um bate-boca e a sessão foi encerrada.

“O vereador Afrânio usou palavras de baixo calão”, disse Katumi. Afrânio se defendeu e disse que o presidente estava aplicando o regimento interno de maneira adversa e usual: “Ele não pode fazer isso, eu estava no meu direito regimental”.

Câmara Vereadores de Florianópolis - Édio Hélio Ramos / CMF
Com cartazes, público acompanhou os desdobramentos da sessão da Câmara nesta segunda-feira - Édio Hélio Ramos / CMF




Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade