Publicidade
Domingo, 16 de Dezembro de 2018
Descrição do tempo
  • 31º C
  • 23º C

Compras na Conselheiro Mafra: a rua de Florianópolis onde você encontra de tudo

Variedade de produtos e serviços oferecidos pelo comércio local faz da rua uma das mais procuradas da cidade

Alessandra Oliveira
Florianópolis
12/09/2016 às 13H48

É tarefa quase impossível apontar quantos itens são oferecidos pelo conjunto de estabelecimentos comerciais, distribuídos pelos 983 metros da rua Conselheiro Mafra, no Centro de Florianópolis. Algumas lojas tem em suas prateleiras mais de 5 mil artigos a disposição. Na mesma via, é possível encontrar o coador, o pó de café ou ainda a bebida pronta para consumo. Enquanto um local vende botões, o outro oferece pneus para automóveis. Enquanto a feira expõe queijos e hortifrutes, em outras portas são exibidos gaiolas e até pássaros.  A variedade é quase tão grande quanto o número de clientes, que tradicionalmente frequentam os mesmos pontos há décadas.

Rua Conselheiro Mafra no centro de Florianópolis é um dos locais mais acessíveis e da cidade. - Daniel Queiroz/ND

Rua Conselheiro Mafra é um dos locais com maior variedade de produtos e serviços
Daniel Queiroz/ND

Quem acessa a rua Conselheiro Mafra, vindo da Praça 15 de Novembro, logo se depara com um banco, uma padaria, uma farmácia e a Casa do Povo, loja de tecidos que há 35 anos mantém uma clientela fiel, originária das mais diversas cidades da Grande Florianópolis. Dentre o público do estabelecimento está a costureira Lucy de Oliveira, 67 anos. Na última visita ela buscou uma malha para reformar uma calça. “Muita fazenda de tecido comprei aqui para fazer lençóis, cortinas e peças de roupas”, conta a moradora da Ponta das Canas, no Norte da Ilha. A aposentada não titubeia na hora de elencar as lojas onde compra aviamentos, presentes para o neto, sapatos e artigos para cama, mesa e banho. “Quando venho pagar uma conta acabo por comprar outras coisinhas”, detalha ao se referir aos poucos estabelecimentos onde compra com carne de pagamento, modalidade quase abolida no comércio atual.

 Por incontáveis vezes, Lucy foi atendida por Solange da Rosa, que tem 43 anos e há 23 mede e corta algodão, cambraia, seda, tule e outros tecidos na loja mais tradicional de tecidos da Conselheiro Mafra. “Percebi que 2016 é o ano dos reparos. Isso se dá em razão das roupas de courino que se estragam facilmente. As pessoas estão consertando tais peças”, observou. No estabelecimento, 14 vendedoras se revezam no atendimento dos mais de 350 clientes que procuram o local a cada dia. No fim do ano, o volume de vendas aumenta, devido ao período de festas.

Se é possível comprar tecido, ainda mais fácil é encontrar roupas prontas para todas as idades e gostos na rua mais movimenta do Centro. E, além de peças novas, roupas de segunda mão também podem ser encontradas nos brechós da Conselheiro Mafra. Quem conhece bem o mix oferecido na via é a artesã Neide Campos, 63. A moradora do Estreito olhava uma caixa para secar salame e carnes na loja de artigos de pesca, na parte da ala Norte do Mercado Público voltada para a Conselheiro Mafra, ontem pela manhã. “É incrível a quantidade de coisas que acho aqui, tanto para meu uso pessoal como profissional. E só caminhar com calma para descobrir as possibilidades deste espaço”, assegura.

 Maior que a variedade de produtos e serviços da via é a quantidade de pessoas que passam por ela, seja a caminho da escola, do trabalho ou ainda em busca de algo para comprar. O trânsito de pedestres pelo local surpreendeu o comerciante Douglas Guimarães que há dois anos abre as portas da loja de artigos de pesca para uma das entradas do centro comercial ARS. “Antes, nossa loja, que começou como peixaria, há 20 anos, ficava no vão central do Mercado Público. Aqui está bem melhor, circula muito mais gente”, comemora entre os mais de 3 mil itens que vão de molinetes, à tarrafas e mochilas.

Enquanto a lavradora de Paulo Lopes, Nilda Corrêa, 65, olhava os calçados em uma sapataria, outros clientes subiam as escadas que levam ao sapateiro. “É bem assim, aqui se compra o novo ou conserta o velho, tudo conforme o bolso permite”, observou. E na hora de consertar do carrinho de bebê a outros eletrodomésticos, os clientes se voltam para a Casa ou Hospital do Fogão, estabelecimentos com mais de 20 anos de atuação e sempre indicados pelos moradores mais tradicionais da Ilha, como a costureira Nair dos Santos, 75. Ela vem do Rio Vermelho pelo menos três vezes por semana para fazer compras na Conselheiro Mafra. E nesta semana levou para casa uma máquina de costurar nova. A aquisição foi necessária depois que a velha companheira de trabalho saiu da ativa. “Tenho quatro gestantes na família. Preciso fazer os acabamentos nas roupinhas da criançada que vai chegar”, conta a cliente assídua da Casa das Máquinas, loja que há cinco décadas abriu as portas na Conselheiro Mafra

 Perto do comércio de máquinas de costura fica uma loja de aviamentos mais conhecidas da cidade: a Vera Cruz, com seus 54 anos de existência.  No local estão disponíveis mais de 5 mil itens que vão de tecido à todo o tipo de linhas, botões, elásticos e acessórios para artesanato e costura. Pela variedade, a loja -que saiu do Mercado Público há dez anos- atrai mais de 500 pessoas por dia. Outro ponto de referência próximo é a Ilha Gás, casa que há mais de 30 anos vende panelas e acessórios para cozinhas residenciais e industriais. No local trabalha há 60 dias o atendente David Pereira, 18. Ele é um dos últimos recém-chegados a Conselheiro e já assegura: “Só não encontrei carro para vender aqui, porque o resto se encontra”, brincou.

Muitos estabelecimentos tem uma grande variedade de doces, mas a loja de Josiane de Souza, 36, bate o recorde. São mais de 2 mil itens, a maioria são produtos que viram outros doces. O preço competitivo dos chocolates em barra torna o estabelecimento um dos mais concorridos da região. O público é em sua maioria formado por doceiras e confeiteiras, mas é em datas comemorativas como Dia das Crianças, Páscoa e festas juninas que os corredores ficam apertados. “Estamos aqui há dez anos. Estou muito satisfeita. Pensei em ir para a Felipe Schmidt, mas o valor do aluguel da rua ao lado é proibitivo”, compara a comerciante.

 

Serviços

  • Banco
  • Casa de suco
  • Farmácia
  • Gráfica
  • Lanchonete
  • Mercado
  • Padaria
  • Papelaria
  • Restaurante
  • Vidraçaria                            
  • Sapataria
  • Brechó
  • Reparo de eletrodomésticos

 

Alguns tipos de lojas:

  • Embalagens
  • Brinquedo
  • Aviamentos
  • Móveis
  • Roupas
  • Lingerie
  • Roupas infantis
  • Artigos musicais
  • Cosméticos
  • Artigos para pesca
  • Artigos esportivos
  • Doces
  • Tecidos
  • Utilidades domésticas
  • Máquinas de costura
Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade