Publicidade
Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Cerimônia encerra homenagens a Aderbal

Muitas homenagens fizeram parte da cerimônia de encerramento, além do lançamento de livro com entrevistas com o ex-governador

Emanuelle Gomes
Florianópolis
Débora Klempous/ND
Presidente da Fiesc, Alcântaro Corrêa, e as irmãs Silvia (E) e Anita, filhas do ex-governador

Familiares, amigos e admiradores de Aderbal Ramos da Silva se reuniram ontem no Centro Cultural Ruth Hoepcke da Silva para o encerramento das comemorações do centenário de nascimento do ex-governador do Estado.
Durante o evento, personalidades catarinenses foram homenageadas e foram realizadas manifestações de agradecimentos.
“Foi um ano de lembranças, recordações e saudades, mas, principalmente, do resgate da história de um líder político, um homem simples e generoso”, diz Silvia Hoepcke da Silva, filha de Deba. “Estamos muito agradecidos pela sensibilidade da comemoração, da memória enaltecida daquele que pode ser considerado o primeiro grande mané”, complementa Anita Hoepcke da Silva, também filha de Aderbal.
Para finalizar os seis meses de celebração, ocorreu o lançamento do livro “Aderbal Ramos da Silva” escrito pelo jornalista Moacir Pereira.
Outra obra sobre a trajetória de Aderbal Ramos da Silva foi relançada durante as comemorações do centenário, pelo jornalista Luiz Henrique Tancredo, o livro biográfico “Dr. Deba — Poder e Generosidade”.
Segundo Mário Petrelli, presidente do Grupo Ric e idealizador das comemorações do centenário de nascimento de Aderbal, o ex-governador pode ser considerado o mais importante filho da Ilha. “Aderbal foi um homem diferenciado, foi empresário, pescador, advogado, político, esportista. O centenário termina, mas lembranças ficarão para sempre”.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade