Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Começa a segunda etapa da certificação da Guarda do Embaú como Reserva Mundial do Surfe

Praia recebe, a partir desta quinta-feira, diretor da World Surfing Reserves, Nick Mucha, que vai discutir o planejamento estratégico do projeto

Brunela Maria
Palhoça
05/07/2017 às 17H54

Começa nesta quinta-feira (6) mais uma etapa importante para certificação da Guarda do Embaú, em Palhoça, como a primeira Reserva Mundial do Surf (RMS) do Brasil. Eleita pelo Conselho das Reservas Mundiais de Surf - RMS (World Surfing Reserves - WSR) e Save the Waves Coalition Reserva Mundial do Surf (RMS), da Califórnia, em 2016, a praia precisa desenvolver seu planejamento estratégico que trata da conservação do meio ambiente, cultura, tradição do surfe e apoio à comunidade. Os trabalhos terão início com a chegada do diretor da WSR, Nick Mucha.

Guarda do Embaú é a primeira praia do Brasil indicada como Reserva Mundial do Surf - Divulgação/Rahael Milian/ND
Guarda do Embaú é a primeira praia do Brasil indicada como Reserva Mundial do Surf - Divulgação/Rahael Milian/ND


O americano desembarca no país às 11h e participará de uma agenda extensa até dia 13 de julho. Nesse período, representantes junto ao Comitê Gestor Local da RMS vão debater o plano de gestão elaborado para o local, que deve beneficiar principalmente a preservação costeira. De acordo com o coordenador do Comitê Gestor Local da RMS Guarda do Embaú, Marcos Kito Gurgel, a programação também prevê navegação no Rio da Madre, encontros com setores da comunidade, gestores de órgãos públicos municipais e estaduais, além de instituições ambientais, empresariais, educacionais e esportivas.

“A chegada do Mucha é bastante aguardada. Será avaliado planejamento estratégico e teremos reuniões para discutirmos as propostas. Montamos um cronograma bem alternativo, incluindo reconhecimento da zona costeira (Guarda do Embaú, Prainha e adjacências) com saída do centrinho da Guarda, visita à Escola Municipal, ao Parque Estadual Serra do Tabuleiro, Associação dos Pescadores e reuniões com Comitê Gestor. Temos uma grande expectativa e convidamos todos os moradores a participar”, comenta.

Fortalecer e desenvolver a comunidade

Além destes encontros estão agendadas várias reuniões internas do Comitê Gestor Local para traçar o plano de gestão da mais nova Reserva do planeta. Esta etapa contará com participantes locais, com representantes da APA da Baleia Franca (ICMBio), do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro e da ONG Conservação Internacional, parceira indicada pela Save the Waves Coalition (STW), com vasta experiência em trabalhos na Amazônia, Mapitoba, Bacia do Paraguaçu, Abrolhos Terra e Mar e Mega Rio.

Segundo Nick Mucha, a expectativa para iniciar o trabalho é muito boa. “Nossa visita tem como objetivos principais conhecer a Guarda do Embau e a sua comunidade; trabalhar com o Comitê Gestor Local para desenvolver o plano de administração da Reserva; identificar as principais ameaças costeiras, traçar as principais estratégias de conservação e desenvolver parcerias com grupos locais, regionais e nacionais para apoiar a WSR da Guarda”, salienta.

O presidente da Associação de Surf e Preservação da Guarda do Embaú (ASPG), Nodin Silveira, avalia que este é um momento importante. “Estabelecer diretrizes que possam fortalecer o desenvolvimento sustentável da localidade,  tendo o surfista como um elemento de ligação e conscientização para a conservação da zona costeira”, descreve. O programa da Save the Waves Coalition existe desde 2009 e já aprovou nove Reservas Mundiais de Surf (RMS): Santa Cruz e Malibu (USA), Bahia de Todos os Santos (México), Ericeria (Portugal), Huanchaco (Peru), Manly Beach e Gold Coast (Austrália), Punta Lobos (Chile) e Guarda do Embaú (Brasil). Todas foram avaliadas e escolhidas com base em quatro critérios: qualidade da onda; características ambientais; cultura (tradição) e história do surf e o apoio da comunidade.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade