Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Com ameaça de greve, servidores da Saúde do Estado se reúnem com secretário

Nesta quarta-feira, a categoria se reúne em assembleia com indicativo de greve caso as negociações com o governo não avancem

Marina Simões
Florianópolis
03/04/2018 às 16H53

A diretoria do SindSaúde-SC (Sindicato dos Trabalhadores da Saúde Estadual e Privada de Florianópolis e Região) se reúne às 17h desta terça-feira (3) com o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, para discutir as demandas da categoria. Conforme a agenda divulgada na última semana, uma paralisação foi realizada entre às 9h e 11h desta manhã, como reivindicação por reajuste salarial, contratação de mais profissionais e melhorias nas condições de trabalho. Segundo o sindicato, a pauta é a mesma desde 2016.

Servidores em frente ao hospital Governador Celso Ramos durante a paralisação desta terça - SindSaúde-SC/Divulgação/ND
Servidores em frente ao hospital Governador Celso Ramos durante a paralisação desta terça - SindSaúde-SC/Divulgação/ND


Para esta quarta, está programada uma nova assembleia com indicativo de greve caso não haja avanço nas negociações. “Queremos sensibilizar o governo para que nos atenda, negocie, e ao mesmo tempo denunciar para a população o descaso desse governo com a saúde. As paralisações foram muito fortes e vão contribuir para mobilizar a categoria caso a gente precise entrar em greve se o governo seguir negligenciando a negociação”, analisou Simone Hagemann, presidente do SindSaúde/SC e trabalhadora do Hospital Infantil Joana de Gusmão.

Houve paralisações nos hospitais Governador Celso Ramos, Nereu Ramos, Infantil Joana de Gusmão, na Maternidade Carmela Dutra e em outras unidades administradas pela SES (Secretaria de Estado da Saúde), em Lages, Ibirama, Mafra e Joinville. Segundo o SindSaúde-SC, centenas de servidoras e servidores de diversas áreas aderiram à paralisação no Estado.

Procurada pela reportagem, a Secretária de Estado da Saúde afirmou que a paralisação não afetou o atendimento e que irá se pronunciar somente após a reunião com o sindicato.

Reivindicações entregues à SES:

1) Abertura imediata de concurso público para contratação de servidores;

2) Melhorias nas condições de trabalho, incluindo equipamentos e insumos adequados para prestar melhor assistência aos usuários;

3) Reajuste do Vale Alimentação de R$ 12 para R$ 24 por dia;

4) Pagamento da data base (10,44% da inflação + 5,22% de ganho real = 15,66% de reajuste), conforme lei 323/2006, artigo 100;

5) Adicional de formação, conforme acordado na greve de 2012;

6) Defesa do SUS estatal, contra qualquer modelo privatizante;

7) Implantação da Política Nacional de Saúde do Trabalhador;

8) Anistia ao SindSaúde/SC;

9) Nenhum direito a menos;

10) Incorporação da gratificação (Lei 15.984 de 09 de abril de 2013) no vencimento.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade