Publicidade
Terça-Feira, 25 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 18º C

Colombo continua internado em Florianópolis e se recupera de uma diverticulite

De acordo com os médicos que atendem ao governador do Estado, ele deve ter alta nesta terça-feira

Redação ND
Florianópolis
30/10/2017 às 08H09

Em nota oficial, divulgada na manhã desta segunda-feira (30), o Governo do Estado, informou que o governador Raimundo Colombo "está ótimo". Ele continua internado no Hospital Baía Sul, onde se recupera de uma diverticulite. 

"O quadro evoluiu bem, a dor aliviou e os sinais da diverticulite  regrediram bastante. Ainda existe um pouco de inflamação. Novos exames serão realizados nesta segunda e a alta segue prevista para esta terça-feira", diz a nota. Os médicos Felipe Simão e Janaína Schiavon examinaram Colombo na manhã desta segunda. 

Colombo afirma que a empresa não tem contratos com o governo do Estado - Arquivo/ND
Colombo está internado no hospital Baía Sul, em Florianópolis - Arquivo/ND

De acordo com o colunista Paulo Alceu, Colombo sentiu fortes dores no abdômen, na noite de sábado, e foi até a emergência do hospital. Após ser submetido a exames, foi definida a necessidade de internação. Até então, o governador nunca havia apresentado histórico desse tipo de problema.

A diverticulite é uma inflamação de bolsas que ficam na parede do intestino, os divertículos. A doença é mais comum em pessoas com mais de 40 anos. Má alimentação, principalmente pobre em fibras, obesidade e sedentarismo são fatores de risco. Assim como aconteceu com Colombo, os sintomas geralmente aparecem de forma súbita.

O que é diverticulite?

Sintomas, riscos e tratamentos da doença

O que é: Inflamação ou infecção de bolsas na parede interna do intestino, os divertículos

Sintomas: Dor na parte inferior esquerda do abdômen; inchaço ou gases; febre e calafrios; náusea e vômito; falta de fome e alimentação insuficiente. Geralmente aparecem subitamente

Fatores de risco: Dieta baseada em alimentos processados e carboidratos, com pouca quantidade de fibras; pouco exercício físico; obesidade e tabagismo. Pessoas acima dos 40 anos estão mais sujeitas

Prevenção: Não há formas comprovadas e eficientes para prevenir

Tratamento: Depende de avaliação médica. Em alguns casos, precisa de cirurgia

Mito: Antigamente, acreditava-se que nozes, sementes, pipoca e milho fossem causas, mas essa teoria já caiu por terra

Fonte: Federação Brasileira de Gastroenterologia

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade