Publicidade
Segunda-Feira, 12 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Clube de tiro e emprego em Florianópolis: autor de ataque contra Bolsonaro passou por SC

Adélio Bispo de Oliveira esteve em clube de tiro de São José em julho, local frequentando por filhos de Jair Bolsonaro; mineiro também trabalhou em Florianópolis

Cristiano Rigo Dalcin
Florianópolis
09/09/2018 às 21H37

Um check-in no Facebook revelou a passagem mais recente por Santa Catarina do mineiro Adélio Bispo de Oliveira, 40 anos, autor do atentado contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL), e colocou em evidência o Clube de Tiro .38, localizado em Campinas, São José. Retirada do ar, a página do autor do atentado ainda revelou também a presença dele nas escadarias da Catedral Metropolitana de Florianópolis durante um protesto, no dia 31 de maio.  

A passagem de Adélio pelo Clube de Tiro .38, no dia 5 de julho, durou menos de uma hora, de acordo com a porta-voz do clube, a advogada Julia Zanatta. Antes do treino em que esteve sempre acompanhado de um instrutor, Adélio preencheu um cadastro obrigatório para todo visitante. Porém, as informações são confidenciais, mas estão à disposição da Polícia Federal para a investigação que apura o atentado.

Clube de Tiro recebeu visita do autor do atentado no mês de julho - Foto: Flávio Tin/ND
Clube de Tiro recebeu visita do autor do atentado no mês de julho - Foto: Flávio Tin/ND


Curiosamente, o local é bastante frequentado por dois filhos de Bolsonaro, Carlos e Eduardo, que já ficaram hospedados na casa do instrutor e sócio do clube, Tony Eduardo de Lima e Silva Hoerhann, quando estiveram em Florianópolis. O candidato e o outro filho, Flávio, nunca estiveram no clube.

Especializado na área de treinamento com arma de fogo, o Clube de Tiro .38 tem como origem a Escola de Tiro .38, fundada em 1992 pelo delegado de Polícia Civil Tim Omar de Lima e Silva. Pioneira em Santa Catarina, a escola impulsionou o tiro esportivo como modalidade. Além de ser um espaço para a prática de tiro, o clube ministra quatro cursos regulares e outros seis cursos especiais com a participação de sete instrutores, e é administrado pelos filhos do fundador, Rafael Casanova Hoerhann e Tony Eduardo.

Adélio trabalhou em Florianópolis

Homem que atraiu os olhares de todo o país após atacar Bolsonaro, Adélio Bispo de Oliveira é um típico retirante de Montes Claros, que deixou a cidade-polo de Minas Gerais ainda na adolescência em busca de emprego. Desde então, segundo parentes próximos, ele só aparecia em raras ocasiões, como nas festas de fim de ano. Ia embora deixando poucas pistas e muito estranhamento.

Falava bastante sozinho, mas pouco com os outros. Saiu de sua cidade natal aos 17 anos, alternando temporadas de trabalho em São Paulo, Uberaba e Florianópolis. Na capital catarinense ele morou em 2010, quando foi admitido para trabalhar em três empresas. Em abril de 2010, Adélio conseguiu emprego em uma rede de supermercados da Capital.

Na sequência, entre os dias 20 de agosto a 10 de setembro, trabalhou em uma cafeteria no Centro, até mudar de emprego para trabalhar em uma rede de fastfood. Na Capital, ele morou no bairro Itacorubi. Adélio chegou a trabalhar também em uma construtora em Balneário Camboriú e, em 2015, moveu uma ação judicial contra a empresa.

>> Recluso e de palavras desconexas: parentes descrevem homem que esfaqueou Bolsonaro

Publicidade

3 Comentários

Publicidade
Publicidade