Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Centenas de fiéis prestigiam encenação da paixão de Cristo no Ribeirão da Ilha

Apresentação que ocorre no bairro desde 1983 teve foco na campanha da fraternidade contra a violência

Karin Barros
Florianópolis
30/03/2018 às 22H12

Com um elenco de mais de cem pessoas, a comunidade do Ribeirão da Ilha apresentou nesta sexta-feira (30) a 35ª edição da encenação da morte e paixão de Cristo. Centenas de pessoas de todos os lugares da cidade chegaram cedo com suas famílias para prestigiar o evento, que, segundo Rose Salete de Paula, 64, é a representação mais impactante da região. “Aqui eles têm o diferencial de resgatar o tema da campanha da fraternidade, e isso nos faz refletir. Espero que eles continuem tendo apoio das empresas e da prefeitura para continuar esse trabalho”, contou ela, que garantiu um lugar na primeira fileira chegando cedo. 

Encenação é apresentada desde 1983 no Ribeirão - Marco Santiago/ND
Encenação é apresentada desde 1983 no Ribeirão - Marco Santiago/ND


Marilei Silva é a mulher à frente da coordenação geral há 26 anos e acredita que este ano o empenho do bairro foi ainda maior, realizando eventos isolados ao longo do ano já pensando na encenação. Ela explicou que os ensaios são feitos nos seis domingos da Quaresma, e que os participantes aparecem voluntariamente durante os ensaios logo que acaba o Carnaval. Só a ala jovem contou esse ano com 40 adolescentes. Quem também ajuda na organização é Reginaldo Mauricio Ferreira, 35, que desde os 11 anos de idade está envolvido com a encenação de Páscoa do local. Interpretando esse ano um jardineiro, ele escolheu artes cênicas como profissão por influência das apresentações na comunidade. 

Adir Crosbela Cardoso tem 79 anos e entrou para o grupo de encenação em 2003, quando a campanha da igreja era relacionada aos idosos. Desde então, a senhora super disposta participa ativamente de todo o processo junto agora dos netos. Na plateia também estava Ondina Maria de Siqueira, 86, que já participou da apresentação, mas moradora do Ribeirão, hoje vê os outros familiares integrarem o elenco. 

Momentos de reflexão contra a violência 

Quem prestigia o evento parece sempre voltar. A professora Flávia Alves já assistiu a morte e paixão de Cristo na praça pelo menos cinco vezes, sendo duas dela ao lado da irmã Fabiana Ávila Alves. As duas ainda levaram as filhas para apreciarem o momento de fé da sexta-feira Santa. “É muito emocionante, não tem como explicar. Eu indico para todo mundo”, diz Fabiana, que mora no bairro João Paulo. 

As irmãs Fabiana e Flávia Alves com as filhas conseguiram a primeira fileira da apresentação - Marco Santiago/ND
As irmãs Fabiana e Flávia Alves com as filhas conseguiram a primeira fileira da apresentação - Marco Santiago/ND


A apresentação tem longa duração, tendo início às 18h30 com o tema da campanha da fraternidade, que este ano é "Superação da Violência". “Esse ano a temática é muito forte, tocante, acredito que as pessoas sentiram na pele o que Cristo viveu”, disse a coordenadora Marilei. Utilizando-se de exemplos do cotidiano, como casos de justiça, brigas de família e abandono familiar, o grupo trouxe uma apresentação densa e contemporânea, incluindo músicas bem familiares do público cantadas ao vivo, como “Trevo”, da dupla Anavitória.

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade