Publicidade
Segunda-Feira, 19 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 24º C
  • 18º C

Cardiologista italiano exibe novas técnicas em seminário no SOS Cárdio, em Florianópolis

Coordenador do seminário, médico cardiologista Marcelo Harada Ribeiro, destacou que a técnica consegue excelentes taxas de sucesso para remover obstruções totais crônicas das artérias

Michael Gonçalves
Florianópolis
20/06/2018 às 21H11

O médico cardiologista italiano Alfredo Galassi, que é uma das maiores autoridades em intervenções coronárias complexas, é o principal convidado para o seminário “Complex Coronary Interventions IV - Mastering The Complex”, que acontece até esta quinta-feira (21), no Hospital SOS Cárdio, em Florianópolis. O evento reúne mais de dez especialistas do Estado e das regiões Sul e Sudeste do país. O coordenador do seminário, o médico cardiologista intervencionista Marcelo Harada Ribeiro, destacou que a técnica do italiano consegue excelentes taxas de sucesso para remover obstruções totais crônicas das artérias.

O cardiologista italiano Alfredo Galassi (à esq.) participará do seminário “Complex Coronary Interventions IV - Mastering The Complex”, coordando por Marcelo Harada Ribeiro - Marco Santiago/ND
O cardiologista italiano Alfredo Galassi (à esq.) participará do seminário “Complex Coronary Interventions IV - Mastering The Complex”, coordando por Marcelo Harada Ribeiro - Marco Santiago/ND


Marcelo lembrou que o SOS Cárdio é um dos hospitais que mais realizam procedimentos complexos no Brasil. “Estamos discutindo novos conceitos e ideias, com técnicas novas para intervenções complexas. O Galassi é um mestre na área, sendo um dos cinco melhores do mundo, que apresenta soluções para reduzir o número de cirurgias por meio deste procedimento”, explicou o médico brasileiro.

A doença coronariana é a maior causa de mortes naturais no mundo e ocorre pelo estreitamento dos vasos que suprem o coração, causado por placas de tecido fibroso e colesterol. As obstruções totais crônicas chegam a 15% das angioplastias, que são procedimentos realizados para remover os bloqueios das artérias, sem necessidade de cirurgia para abrir o peito.

O chefe da clínica de cardiologia do Hospital Cannizzaro, em Catania (Itália), destacou o nível da medicina coronária no país. “O desenvolvimento de novas técnicas no Brasil está bem avançado e em pouco tempo os profissionais terão as mesmas taxas de resolutividade da Europa”, afirmou Alfredo Galassi, que realiza de 1,5 mil a 2 mil procedimentos por ano.

Segundo o médico Marcelo, a taxa de resolutividade na América Latina é de 80%.

Unidade conquista prêmio científico

O Hospital SOS Cárdio, no bairro Itacorubi, em Florianópolis, atende mais de 1.000 pessoas por mês no pronto atendimento. No mesmo período, a unidade realiza uma média de 500 procedimentos e cirurgias. Assim, o hospital está em 2º lugar no número de casas de intervenções coronárias de alta complexidade. Na semana passada, o SOS Cárdio contribuiu com a pesquisa que venceu o prêmio de melhor trabalho científico no Congresso Brasileiro de Cardiologia Intervencionista, em Curitiba.

De acordo com Marcelo Harada Ribeiro, que coordenou o registro do prêmio na região Sul e representou a instituição na equipe formada por profissionais de vários países de América Latina, o índice de sucesso alcançado é comparável aos obtidos na Europa e Estados Unidos. “Estamos nos aperfeiçoando para manter o índice de excelência conquistado nos últimos anos, que nos tornou uma referência para o tratamento da especialidade no Sul do país”, afirmou.

A unidade conta com 79 leitos, sendo 19 de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo).

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade