Publicidade
Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 17º C

Candidatos terão que detalhar declaração de bens a partir desta segunda-feira

Medida entra em vigor após ministro Luiz Fux recuar de uma alteração que havia sido feita no sistema de registro de candidaturas que diminuía a transparência

Folha de São Paulo
Brasília (DF)
19/08/2018 às 17H57

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Todos os 27.813 candidatos que pretendem disputar as eleições em outubro terão que detalhar a partir desta segunda-feira (20) a declaração de bens feita ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

A medida entra em vigor dez dias depois de o então presidente da Corte, ministro Luiz Fux, recuar de uma alteração que havia sido feita no sistema de registro de candidaturas que diminuía a transparência em relação aos bens de todos os políticos.

Fux havia se comprometido com a alteração do sistema depois que a Folha de S.Paulo revelou que o tribunal promoveu mudanças no sistema.

Urna Eleição - EBC/Divulgação/ND
Até o dia 15 de agosto, todos os candidatos declararam seus bens sem poder informar detalhes - EBC/Divulgação/ND


Nas disputas anteriores, os políticos tinham que listar seus bens de forma detalhada, com tipo, descrição e valor.

Ao declarar a posse de um apartamento, por exemplo, normalmente eram descritos o endereço, tamanho e outras características.

Nesta eleição, foi informado à população apenas que o candidato tem um apartamento e o seu valor, sem indicação de endereço, cidade, estado ou tamanho.

No dia 9 de agosto, o TSE havia informado que faria a alteração e que os partidos cujos candidatos já declararam bens à Justiça Eleitoral seriam intimados para complementar as informações prestadas.

Mas, até o dia 15 de agosto, todos os candidatos declararam seus bens sem poder informar detalhes.

"As informações patrimoniais incluídas serão automaticamente exibidas no DivulgaCandContas, sistema utilizado pelo TSE para a divulgação das candidaturas e das prestações de contas dos candidatos e dos partidos políticos em todo o Brasil", informou o tribunal em nota.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade