Publicidade
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 19º C

Candidato ao governo Mauro Mariani (MDB) promete zerar fila de espera por cirurgias em SC

Eleito como deputado federal em 2006, 2010 e 2014, ele respondeu perguntas relacionadas à renúncia fiscal, educação e saúde

Redação ND
Florianópolis
12/09/2018 às 21H42

O candidato ao governo de Santa Catarina pelo MDB, Mauro Mariani, foi o entrevistado desta quarta-feira (12) no programa RIC Notícias, na RICTV Record. Ele foi sabatinado pelo jornalista Paulo Alceu e respondeu questões relacionadas à renúncia fiscal, educação e saúde.

Mauro Mariani foi eleito como deputado federal em 2006, 2010 e 2014 - Flávio Tin/ND
Mauro Mariani foi eleito como deputado federal em 2006, 2010 e 2014 - Flávio Tin/ND


Questionado sobre a candidatura do presidenciável Henrique Meirelles, Mariani comentou que construiu “uma certa aproximação” com o ex-Ministro da Fazenda em suas vindas ao Estado. “Ele é um grande brasileiro, uma pessoa preparada. Infelizmente a candidatura dele enfrenta uma dificuldade de espaço para crescimento”, afirmou, lamentando a falta de apoio do partido a Meirelles. “Temos uma parceria com o PSDB em Santa Catarina, estou torcendo para que um candidato desta faixa seja projetado para o segundo turno”, garantiu.

Eleito como deputado federal em 2006, 2010 e 2014, Mariani também destacou a importância de a população compreender a renúncia fiscal. “É um dispositivo com o qual o governo abre mão de parte da receita do recolhimento do imposto para incentivar um setor importante para o Estado, como a indústria de carnes, ou uma região deprimida economicamente”, explicou. Para o representante do MDB, a prática, da forma aplicada por Luiz Henrique da Silveira em seus dois mandatos, pode fortalecer a economia catarinense. “Santa Catarina sempre foi um Estado muito exportador e isso gerava um problema. Luiz Henrique inverteu a pauta, criando um benefício fiscal para atrair importações. Ao entrar a mercadoria nos portos, além de movimentar a economia local, foram injetados recursos no ICMS”, disse.

Quanto às críticas ao atual governo do MDB, Mariani opinou sobre os atuais setores da saúde e educação. “O MDB foi governo com Luiz Henrique da Silveira, de 2003 até a eleição de Raimundo Colombo, que inclusive eu fui contra”, disparou. “Eu não participo desse governo dos últimos oito anos de forma nenhuma, inclusive levei as últimas consequências. Disputei a convenção porque entendi que era melhor para Santa Catarina e para o MDB ter a sua própria candidatura”, completou.

A solução para melhorar a educação, para Mariani, é “fazer um grande mutirão no Ensino Médio” e “trazer os educadores para dentro do processo”. A expansão da educação integral também está entre os planos do candidato, se eleito. “Mais do que aumento salarial [para os professores, trata-se da] valorização do profissional da educação”, comentou. “Vamos criar uma escola de tempo integral de ensino médio e dar uma gratificação para os professores que ingressarem nesta modalidade”, prometeu.

“Eu conheço todos os 295 municípios do Estado e visitei os principais hospitais de Santa Catarina”, disparou o candidato do MDB. Para ele, o problema da saúde no Estado reside na gestão dos hospitais. “Resolvendo a questão dos hospitais públicos, vamos ter recursos sobrando para atender melhor os hospitais filantrópicos”, declarou. Mariani se comprometeu ainda a zerar a fila de espera por cirurgias no Estado em um ano.

Já a solução para combater a criminalidade, de acordo com Mariani, está em trazer anualmente mais agentes para o quadro da Polícia Militar. “Todo ano 600 policiais militares passam para a reserva”, comentou, criticando a falta de política de manutenção de efetivo do Estado.

Publicidade

5 Comentários

Publicidade
Publicidade