Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Candidata ao senado pelo PT, Ideli Salvatti promete lutar pelo direito das mulheres

A ex-senadora e deputada estadual, tenta voltar ao cargo para "junto com Haddad colocar o país no caminho certo"

Redação ND
Florianópolis
12/09/2018 às 19H53

Com forte atuação em movimentos sindicais, a professora Ideli Salvatti, 66 anos, é uma das candidatas do PT (Partido dos Trabalhadores) ao senado e foi entrevistada ontem na Record News. Ex-senadora e deputada estadual, Salvatti tenta novamente se eleger ao cargo de senadora, após passar dois anos representando o país na Organização dos Estados Americanos, em Washington, nos Estados Unidos. Na entrevista, a candidata defendeu a igualdade social entre homens e mulheres na política e criticou a atual forma de governo no país.

Ideli Salvatti participou de entrevista para a Record News nesta quarta-feira (12) - Record News/Divulgação
Ideli Salvatti participou de entrevista para a Record News nesta quarta-feira (12) - Record News/Divulgação

Para Salvatti, o atual governo conseguiu destruir os pontos positivos que o governo da ex-presidente Dilma Rousseff havia conquistado. “Estava tudo dando certo, o país gerando empregos, pessoas comprando casas, tendo atendimento e remédio gratuito, aí você vê tudo isso sendo desmontado”, afirmou. A candidata ainda defende que apesar de Santa Catarina ser um Estado desenvolvido, industrializado e com economia regional potente, precisa que o país esteja bem para que caminhem juntos.

Outra bandeira levantada pela petista é a defesa da representação feminina no Congresso. A candidata considera “um absurdo” Santa Catarina ter três cadeiras no Senado e não ter nenhuma mulher. “Homens também são compromissados com a pauta, porém, quando a mulher está lá sempre vê algo diferente. Dou como exemplo a situação do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’. Obrigatoriamente a escritura da casa tem que ficar no nome da mulher, porque na hora da separação, na grande maioria, é a mulher que fica com os filhos, então a prioridade é dela”, pontuou. A candidata ainda defende a criação de um ministério de políticas públicas para mulheres, para combater questões de violência de gênero.

Salvatti destacou o trabalho do partido perante às pequenas cidades do Estado enquanto o PT esteve no governo. “Eu quero que me apresentem um único município em Santa Catarina, que durante os governos do PT, não recebeu, no mínimo, de sete a oito programas federais de repasse de recursos de equipamento”, destacou.

Para finalizar, a candidata se mostrou contra uma possível reforma da Previdência. “Nem pensar, por que eles querem tirar dos pequenos. Se quiserem mexer na Previdência, vão mexer naqueles que têm privilégios e altíssimos salários”, afirmou.

Publicidade

4 Comentários

Publicidade
Publicidade