Publicidade
Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 17º C

Caminhada Penitencial pela Paz em Florianópolis relembra o caminho de Jesus ao Calvário

Aproximadamente 1,3 mil fiéis subiram o Morro da Cruz na sexta-feira Santa

Felipe Alves
Florianópolis

Subindo o Morro da Cruz a pé, os fiéis rezaram e contemplaram os momentos de dor e da peregrinação espiritual de Jesus Cristo a caminho da morte. A encenação da Via Sacra de Jesus é feita há 12 anos por integrantes da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e São Luis, do bairro Agronômica, e nessa sexta-feira reuniu cerca de 1.300 pessoas, segundo a organização do evento.

Eduardo Valente/ND
Caminhos percorridos por Jesus Cristo no calvário foram refeitos durante a subida, pela avenida do Antão, na região central

 

Ao longo do trajeto, os fiéis pararam 14 vezes para assistir às encenações que resgatam os momentos da Sexta-feira Santa. A encenação começa com Jesus sendo condenado à morte, continua com ele carregando a cruz, caindo, sendo açoitado, desnudado, pregado à cruz, morrendo e sendo sepultado. “Vivemos nossa fé cristã reproduzindo todos os momentos de Jesus até a sua morte. É um momento de dor, de penitência e de silêncio”, diz Fernanda Patrício, uma das diretoras do espetáculo.

A encenação, também chamada de Caminhada Penitencial pela Paz, começou na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e São Luis, na Agronômica, às 6h, e seguiu pela avenida do Antão, até o final do Morro da Cruz, quando encerrou por volta de 9h15. No percurso, pessoas de diferentes comunidades se juntam para rezar o Pai Nosso e a Ave Maria e apreciar a encenação. Fiéis do Alto da Caieira, Córrego Grande, Horário, Itacorubi, Mariquinha, Monte Serrat, Morro do Céu, Pantanal, Penitenciária, Queimada, Saco dos Limões, Serrinha e Trindade subiram pelas diversas ruas de acesso ao morro.

Os momentos de oração também foram dirigidos para as mulheres que ainda sofrem discriminação, para os desamparados, desempregados, idosos, sem-tetos, vítimas da violência social e os discriminados. No fim, o padre Cláudio Zimmermann encerrou o evento com algumas palavras de fé.

Fiéis movidos pela esperança

Quem participou da encenação se emocionou ao relembrar os momentos de dor vividos por Jesus Cristo a caminho do Calvário. “O mundo está precisando de oração, está muito tumultuado, então precisamos nos apegar à fé”, disse Maria de Nazaré, 56, que foi pela primeira vez ao evento.

Eduardo Valente/ND
Maria de Nazaré (à dir.) foi pela primeira vez à caminhada

 

Nadir Sanson, 66, participa há três anos da caminhada. Na primeira vez, ela foi para pedir solução de alguns problemas. Na segunda, para agradecer, e agora para rezar por uma colega que está doente. “Isso faz parte da minha fé e sempre me emociono de ver o quão sofrido foi para Jesus passar por tudo que passou”, disse ela.

A encenação foi acompanhada pela Polícia Militar e Guarda Municipal para auxiliar no trânsito pelo local.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade