Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Cães, cabra e aves que sofriam maus tratos são resgatados de casa em São José

No local havia cerca de 20 cães, além de uma cabra, galos e pássaros, que ficavam em cubículos e apresentavam sinais de maus tratos

Redação ND
Florianópolis
22/06/2018 às 20H44
Cães ficavam em cubículos de cimento sem qualquer estrutura ou higiene - Secom/PMSJ/Divulgação/ND
Cães ficavam em cubículos de cimento sem qualquer estrutura ou higiene - Secom/PMSJ/Divulgação/ND


Uma força-tarefa resgatou resgatou cerca de 20 cães, a maior parte de raça, além de uma cabra, galos e pássaros em uma casa em São José, na Grande Florianópolis, na manhã de quinta-feira (21). A prefeitura da cidade mobilizou equipes da Dibea (Diretoria de Bem Estar Animal), vinculada a Secretaria Municipal de Saúde, fiscais da Vigilância Sanitária e da SUSP (Secretaria de Urbanismo e Serviços Públicos), GMSJ (Guarda Municipal de São José) e Polícia Militar, que foram ao local após receberem uma denúncia de maus tratos de animais.

A diretora de Bem Estar Animal do município, Helena Márcia Kretzer, conta que recebeu vídeos com imagens de maus tratos de cães em um local que supostamente funcionaria como canil. “Entramos em contato com o Ministério Público e recebemos as orientações de como proceder. A operação foi montada em uma reunião com representantes da Procuradoria-Geral do Município, Secretaria de Saúde, SUSP e Guarda Municipal”, contou.

Animais foram entregues para protetoras e ficarão em lares provisórios até o fim do processo - Secom/PMSJ/Divulgação/ND
Animais foram entregues para protetoras e ficarão em lares provisórios até o fim do processo - Secom/PMSJ/Divulgação/ND


A maior parte dos cães era de raça. Segundo Helena Márcia, eles ficavam em cubículos de cimento sem qualquer estrutura ou higiene e apresentavam sinais de maus tratos. “Resgatamos 15 cães que estavam em estado mais delicado e todos foram levados para uma clínica, onde foram atendidos pela veterinária do Município, além de receberem banho e tosa”, explicou a diretora da Dibea.

Após serem tratados, os animais foram entregues para protetoras de São José e ficarão em lares provisórios até o fim do processo. “Agora estamos elaborando o relatório técnico que será enviado ao Ministério Público para investigação e tomadas as devidas procidências legais”, completa Helena Márcia.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade