Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Banhistas não se desconectam da internet nem quando estão nas praias da Capital

Tecnologia: smartphones, tablets e outros modelos de eletrônicos são utilizados por dezenas de pessoas na beira do mar

Edinara Kley
Florianópolis
Marco Santiago/ND
Tecnologia na praia
Camila não desgruda os olhos do telefone. Vitor deixou o seu em casa

 

Depois de um banho de mar, a estudante Camila D’ávila Fernandes corre para a areia. A pressa não é para secar-se ou descansar depois de alguns mergulhos, ela quer ver as atualizações do Facebook em seu smartphone. Nem a paisagem e nem os surfistas da Joaquina são capazes de fazê-la desgrudar os olhos do aparelho.

As postagens mais interessantes ela compartilha com o amigo Vitor Muniz, que para aproveitar mais o dia na praia deixou o telefone em casa. “Não fico sem ele. Sempre que chego a algum lugar faço check-in no Forsquare (rede social que lista os lugares frequentados pelo usuário), aí se alguém está saindo eu falo pra vir pra cá, e a galera vem. Combinamos tudo pela internet”, diz Camila.

Seguir o exemplo do colega e sair sem o aparelho, nem pensar. “Acho que não conseguiria, já estou acostumada a estar sempre conectada. Só o deixaria por uma questão de segurança”, afirma.

Camila não é exceção. A tecnologia invade as praias de Florianópolis e, ao mesmo tempo em que a estudante dava entrevista, aparelhos de celular com acesso à internet, iPhones, tablets e outros modelos de eletrônicos eram utilizados por dezenas de pessoas a sua volta. Embora destoe do cenário, quem usa garante que as utilidades são inúmeras: acompanhar o trabalho no escritório, marcar encontro com amigos, saber o que as pessoas estão fazendo, que lugares estão frequentando, ouvir música ou ler.

A turista italiana Adriana Sibila acabou de chegar ao Brasil e se diz encantada com as praias catarinenses. No entanto, ela não abre mão de ler digitalmente as páginas do livro no e-book. Concentrada na leitura, Adriana diz que também não costuma sair sem seu tablet e considera a praia um bom lugar para ler.

 

Marco Santiago/ND
Tecnologia na praia
Adriana Sibila, turista italiana, aproveita a tranquilidade da praia da Joaquina para ler em seu e-book

 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade