Publicidade
Domingo, 18 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Praça da Dinamarca expõe bancos de concreto do bairro Kobrasol, em São José

Estudante catarinense que mora em Copenhague encontrou os bancos em uma praça que reúne cultura de diferentes países

Karin Barros
Florianópolis

Do bairro Kobrasol, diretamente para Copenhague, na Dinamarca. Essa é a estranha trajetória de dois bancos de concreto feitos, aparentemente, para uma das praças de São José. O estudante Franco Bertoncini Andrade, que atualmente mora na cidade, passeava de bicicleta pela praça Superkilen, quando, entre os 60 países representados no local, encontrou os objetos levados do Brasil.

O catarinense está no país para fazer um semestre de Motion Graphics, curso oferecido pelo Ministério da Educação da Dinamarca. Franco já é formado em Design Gráfico. 

"Meus ex-colegas de trabalho quando viram o vídeo, não deu outra, falaram que era montagem, que eu estava aplicando o que estava aprendendo no curso. Só depois da repercussão e com as provas em sites, eles acreditaram", afirmou o jovem em entrevista por e-mail. 

Divulgação
Divulgação
Entre objetos estranhos de 60 países, estavam os bancos brasileiros


O parque urbano foi projetado para refletir o lado multicultural do noroeste da cidade dinamarquesa. Nele ainda estão lixeiras e bicicletários da Noruega, mesas de ping-pong da Espanha e parques infantis do Japão. 

O encontro dos bancos da loja Passo Firme Calçados, que antigamente ficava localizada na avenida central do bairro Kobrasol, foi surpresa para muitos catarinenses. O vídeo que Franco postou no dia 12 de setembro tem cerca de 279 compartilhamentos e quase 400 curtidas.

"Achei interessante ter essa praça, mas ainda o por que de ser um banco do Kobrasol, em São José, não entendi. Poderiam ter colocado um banco do Rio de Janeiro, Copacabana,de São Paulo...mas do Kobrasol?! Isso é um mistério", encerrou o estudante, tão impressionado quanto nós.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade