Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Baleias Francas são avistadas na praia da Gamboa, no Sul de Santa Catarina

Segunda aparição neste mês antecipa a chegada dos mamíferos no litoral catarinense

Andréa da Luz
Florianópolis
25/06/2018 às 18H56

A temporada reprodutiva das baleias francas vai de julho a novembro, com pico de ocorrências em setembro, mas este ano elas chegaram mais cedo. Na tarde deste domingo (24), uma baleia franca adulta foi avistada com um filhote na praia da Gamboa, na região de Garopaba. Os animais estavam a cerca de 100 metros da praia.

Baleia franca com filhote é avistada na praia da Gamboa, no litoral Sul de SC - Instituto Australis/Divulgação/ND
Baleia franca com filhote é avistada na praia da Gamboa, no litoral Sul de SC - Instituto Australis/Divulgação/ND


A mãe é uma baleia conhecida dos pesquisadores desde 2006 e recebeu o número B429 no catálogo do Instituto Australis, que mantém em Imbituba o Projeto Baleia Franca - programa de pesquisa
em conservação da baleia franca. Ela foi "batizada" de Zimba (apelido de Imbituba, capital nacional da Baleia Franca) e o filhote, que nasceu nesta temporada, foi chamado de Imbituba (por causa da mancha branca no dorso que lembra a letra "i").

"Pretendemos monitorar a região e verificar quanto tempo Zimba e Imbituba vão permanecer na região", afirma a Diretora de Pesquisa do Instituto Australis, Karina Groch.

No dia 15 de junho, outra baleia adulta já tinha sido avistada na Praia do Rosa, também no litoral Sul do Estado. Foi a primeira avistagem com registro fotográfico desta temporada.

De acordo com a pesquisadora, ainda não se sabe por que as baleias estão chegando mais cedo aqui no litoral. "Essa é a primeira vez que elas chegam tão cedo e ficam. Em outras temporadas, já foram avistadas baleias antes da temporada, mas elas só passavam e não permaneciam, provavelmente procurando um lugar para terem os filhotes", diz a doutora em Biologia Animal.

Temporada reprodutiva

A temporada reprodutiva da espécie inicia com a chegada das primeiras baleias, mas a maioria dos indivíduos começam a permanecer nas enseadas a partir da segunda quinzena de julho. As avistagens iniciais geralmente são de fêmeas grávidas à procura de enseadas para terem seus filhotes. Após o nascimento, elas tendem a permanecer mais tempo nesses locais para amamentar.

"É difícil estimar o número de baleias francas que virão para o Brasil este ano, pois nos últimos três anos verificamos números abaixo da média, em torno de 50 baleias, o que é atípico para a região", revela a pesquisadora.

De 2002 a 2013 a média era de 109 baleias avistadas no auge da temporada, em setembro. "Alterações climáticas globais podem estar influenciando o sucesso reprodutivo das baleias francas no Brasil, por isso estamos observando as flutuações na ocorrência da espécie", explica Karina.

O monitoramento terrestre desses mamíferos deve começar no início de julho, nas praias localizadas na região central da APABF (Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca), que
vai do Sul de Florianópolis até o Balneário Rincão, no litoral Sul catarinense.

Além disso, outra pesquisa com uso de drone tem como objetivo estudar a variação da ocupação sazonal e uso de área das baleias francs na APABF. A investigação também tem por objetivo estabelecer uma altura adequada para captação de imagens aéreas com uso de drone, sem interferir no comportamento dos animais.

Zimba e Imbituba, mãe e filhote, estão sendo monitorados pelo Instituto Australis, em Imbituba - Instituto Australis/Divulgação/ND
Zimba e Imbituba, mãe e filhote, estão sendo monitorados pelo Instituto Australis, em Imbituba - Instituto Australis/Divulgação/ND


Conheça a espécie

A Baleia Franca, ou Eubalaena australis (em seu nome científico), pertence à Ordem Cetacea, Subordem Mysticeti, da Família Balaenidae. Ela não possui nadadeira dorsal e pregas ventrais.  Apresentam nadadeiras peitorais largas e calosidades na região da cabeça e são cetáceos de grande tamanho, podendo atingir mais de 17 metros de comprimento nas fêmeas e pouco menos nos machos. Este gênero específico existe há cerca de 2,5 milhões de anos e também são conhecidas como baleias de barbatana.

Elas se alimentam durante o verão, nas águas próximas da Convergência Antártica, entre os meses de dezembro a abril. A alimentação ocorre através da filtração do alimento na superfície: ela nada lentamente com a boca aberta deixando a água fluir por entre as cerdas expostas que capturam pequenos organismos, como copépodes e Krills.

Quando termina o verão, as baleias francas se dirigem às regiões costeiras para o acasalamento, para parir e para amamentar seus filhotes. Nas áreas de reprodução, os comportamentos mais frequentes são a natação com deslocamento aparente e velocidade constante, o descanso com a parte dorsal da cabeça e corpo acima da água, e a atividade sexual.

Segundo o Instituto Baleia Franca - localizado na Praia do Rosa, estima-se que a gestação da espécie dure em torno de 12 meses, sendo que nas primeiras semanas de vida o filhote pode adquirir cerca de 50 Kg/dia de peso, devido ao leite rico em gordura da mãe. Ele fica o tempo todo ao lado dela e apenas no final da temporada de inverno começam a se distanciar.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade