Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

Aventureiros de Tijucas exploram terras colombianas

Após quase um mês no território venezuelano, Narbal e Christiane pedalam pelas trilhas da Colômbia

Redação ND
Tijucas

Narbal Andriani
Christiane Müller
especial ND

Voltamos para a estrada depois de mais de um mês praticamente parados em Margarita. O retorno é ainda mais difícil considerando-se todas as dificuldades que a contraditória Venezuela tinha imposto a nossa viagem até agora. Desconfiados, porém, acima de tudo motivados, tivemos ainda mais incertezas em qual caminho tomar rumo a Caracas.
A via mais curta, mais trafegada, ou a desconhecida, beirando o mar? Na dúvida, sempre, o mar. E deu certo. A estrada não totalmente pavimentada, e pouco trafegada, que corta os estados de Miranda e Vargas, margeando o Caribe, além de praias paradisíacas, nos revelou uma Venezuela até então desconhecida.
Uma floresta tropical praticamente intocada que, a cada trecho íngreme, revelava rios e cachoeiras cristalinas. Sem falar das inúmeras fontes de águas termais. Nossa renovação só não foi maior devido à imensa quantidade de lixo encontrado às margens da estrada, principalmente nas praias que precedem à Capital. Na tentativa quase que desesperada de retirar dinheiro na caótica Venezuela, chegamos à Península Falcão, com o intuito de ir a Aruba ou Curaçao, de origens holandesa, onde o sistema bancário e integrado internacionalmente. Por conta da alta temporada, não conseguimos chegar às ilhas, e contra a nossa vontade e pela primeira vez (esperando ser a última!!) tivemos que pegar um ônibus até a fronteira com a Colômbia. Na imigração venezuelana, com os vistos vencidos em 10 dias, e sem dinheiro no bolso, fomos ameaçados de deportação, por não termos como  pagar uma dita multa.
É, a Venezuela, definitivamente é um país de contrastes, desde o governo, instituições, até o povo em geral.De beleza e diversidade natural incontestável, sem duvidas, este país, infelizmente ainda tem um longo caminho que percorrer.nho que percorrer.

Pedras e burocracia no caminho

Anteriormente pensávamos em fazer um artigo sobre as ilhas de Aruba e Curaçao. Infelizmente devido as inúmeras adversidades encontradas na Venezuela, tivemos que partir mais cedo para a Colômbia. Assim, que nos aguardem com novas notícias deste novo país a ser trilhado por nossas bicicletas. As fotos da aventura podem ser visualizadas no site: www.pedalanarbal.com

Christiane Müller/ND
Narbal e Christiane estão pedalando pelo continente americano
Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade