Publicidade
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 19º C

Governo federal prevê rombo de R$ 170,5 bilhões no Orçamento em 2016

Ministros Henrique Meirelles e Romero Jucá anunciaram a projeção nesta sexta-feira

Folha de São Paulo
Marcelo Camargo/Agência Brasil
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles

 

Eduardo Cucolo, Valdo Cruz e Machado da Costa

O governo federal vai pedir ao Congresso autorização para fechar o ano com um deficit de R$ 170,5 bilhões, diferença entre receitas e despesas. A nova projeção para o rombo nas contas do governo foi anunciada nesta sexta-feira (20) pelos ministérios da Fazenda e do Planejamento.

O projeto enviado pela equipe econômica do governo Dilma Rousseff há dois meses previa um deficit de R$ 96,7 bilhões em 2016. Inicialmente, o governo trabalhava com superavit de R$ 24 bilhões. A nova proposta precisa ser aprovada pelo Congresso na próxima semana.

A nova equipe econômica também reviu a projeção de queda no PIB (Produto Interno Bruto) do ano de -3,05% para -3,80% (a projeção da pesquisa Focus mais recente é -3,88%).

Em fevereiro e março já haviam sido anunciadas dos cortes que somavam quase R$ 45 bilhões. Se a nova meta for aprovada, será possível liberar uma parte desse valor, R$ 21,2 bilhões. A equipe também colocou na conta despesas com PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), Defesa e Saúde, um total de R$ 15,5 bilhões.

O governo também colocou na conta um bloco de receitas e despesas, que não serão detalhadas, mas terão como resultado líquido uma despesa de R$ 19,9 bilhões. Entram nesse cálculo, por exemplo, aumento de despesa na renegociações com os Estados, receitas com regularização de capitais no exterior e mais desembolsos com restos a pagar.

O ministro Henrique Meirelles (Fazenda) disse que os números não consideram medidas que serão anunciadas na próxima semana pelo governo. Algumas delas dependem de aprovação do Congresso. Também não está prevista arrecadação com a CPMF nem a possibilidade de um socorro à Eletrobras.

O ministro Romero Jucá (Planejamento) disse que o número de R$ 170,5 bilhões é um teto e que o governo vai trabalhar para cortar despesas.

Ficou mantida a previsão de que Estados e municípios farão um superavit de R$ 6,55 bilhões neste ano, o que reduz o deficit total do setor público para R$ 163,94 bilhões.

Temer discursará

Pressionado pelo mercado financeiro a apresentar rapidamente saídas para equilibrar o deficit fiscal, o presidente interino Michel Temer aproveitará discurso na próxima segunda-feira (23) para anunciar medidas econômicas para aumento da arrecadação e redução das despesas.

Em entrevista à imprensa, no Palácio do Planalto, o peemedebista explicará como tentará reduzir o rombo de R$ 170,5 bilhões das contas públicas, anunciado nesta sexta-feira (20). Segundo assessores e auxiliares, ele detalhará iniciativas como o corte de cargos comissionados e o descontingenciamento de recursos orçamentários.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade