Publicidade
Domingo, 18 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Após resgate de quatro meninos, equipes retomam nesta 2ª trabalho em caverna na Tailândia

Adolescentes foram retirados do local com a ajuda de mergulhadores e voluntários; são usados tanques de oxigênio e há uma corrida contra o tempo

Agência Brasil
Brasília (DF)
08/07/2018 às 21H05

Após a retirada de quatro das 13 pessoas presas em caverna na Tailândia, as equipes de resgate vão retomar os trabalhos na manhã desta segunda-feira (9). Ainda restam oito crianças e adolescentes, de 11 a 16 anos, e o técnico de 29 anos. Os adolescentes foram retirados do local com a ajuda de mergulhadores e voluntários. São usados tanques de oxigênio e há uma corrida contra o tempo.

Equipes de resgate são dos Estados Unidos, da China, Austrália e locais distintos da Europa - REAL TAILANDIA/Agência Brasil
Equipes de resgate são dos Estados Unidos, da China, Austrália e locais distintos da Europa - REAL TAILANDIA/Agência Brasil


Para as autoridades tailandesas, esta segunda-feira é considerado o “Dia D”, pois os adolescentes e crianças estão mais bem dispostos, alimentados e fisicamente em melhores condições. Nesta primeira etapa, os meninos foram retirados cada um individualmente acompanhados por dois mergulhadores.

Há 13 especialistas estrangeiros em mergulho em cavernas que estão à frente da operação. As equipes de resgate são dos Estados Unidos, da China, Austrália e locais distintos da Europa.

Hospital

Presos em uma caverna isolada na região de Tham Luang Nang Non, no norte da Tailândia, em Chiang Rai, desde 23 de junho, os adolescentes e o técnico foram localizados no último dia 2. Há informações de que os quatro garotos resgatados estão no hospital e dão sinais de recuperação.

Os quatro resgatados tiveram que se deslocar de uma região a 4 quilômetros de profundidade. A primeira operação de evacuação transcorreu mais rápido do que o calculado inicialmente pelos peritos.

As precipitações eram uma das principais preocupações das autoridades, porque a água filtrada pelo monte pode voltar a inundar as galerias e anular a drenagem realizada desde o dia 2 quando foram encontrados com vida os 12 estudantes e o treinador.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade