Publicidade
Quarta-Feira, 26 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 19º C

Polícia Militar Rodoviária vai intensificar blitze na SC-401, no Norte da Ilha

Foram sete mortes nos últimos cinco meses. Kamilly Quadros, de 30 anos, foi a vítima mais recente

Felipe Alves
Florianópolis

Em reunião na tarde desta segunda-feira (9), a PMRv (Polícia Militar Rodoviária) decidiu intensificar as operações de blitze e de Lei Seca na região da SC-401, no Norte da Ilha. A medida foi tomada após a morte de Kamilly Quadros, de 30 anos, no último domingo, totalizando sete mortes nos últimos cinco meses na rodovia.

Bruno Ropelato/ND
"Vamos deslocar radares noturnos e bafômetros para a região", disse tenente da PMRv


De acordo com o tenente-coronel Fábio Martins, o 1º Batalhão, responsável pela região Norte, receberá reforços de bafômetros e de radares móveis para intensificar as fiscalizações, principalmente durante a madrugada e nos fins de semana.

“Vamos fazer um estudo detalhado da relação de acidentes e dos horários para fazer essas operações. Mas vamos deslocar radares noturnos e bafômetros para a região”, disse.

Segundo Martins, a PMRv dispõe de 51 bafômetros no Estado e cada posto da PMRv tem o seu. “A gente está trabalhando além dos esforços do pessoal, trazendo gente de outros postos quando há operações maiores e fazendo o máximo para coibir, mas não podemos estar em todos os lugares”, contou.  

O tenente-coronel atribui o excesso de mortes nas rodovias ao excesso de imprudência e de velocidade aliados ao uso de bebida alcoólica.

“Notamos o modus operandi de a pessoa de não parar, não prestar socorro, e a questão de falta de infraestrutura no local, sem acostamentos e passarelas. Isso tudo é ligado à forma agressiva como o brasileiro conduz o veículo, com falta de responsabilidade e imprudência”, afirmou. 

 

Acidentes na SC-401

2014: 747 acidentes, com 16 mortos

2015: 664 acidentes, com 11 mortos

2016: 283 acidentes, com 5 mortos*

*A PMRv considera para efeito estatístico as mortes ocorridas no local do acidente. O caso de Rafaela Saraiva, por exemplo, que foi atropelada no dia 17 de abril e morreu no dia 1º de maio no hospital, não entra para a estatística.

 

Das cinco mortes contabilizadas pela PMRv em 2016:

- Duas foram no domingo, uma na sexta, uma no sábado e uma na segunda-feira.

- Três acidentes ocorreram entre 4h e 7h. Outro entre 17h e 18h e outro entre 23h e 24h.

- Dois foram por atropelamento, uma por colisão, outra por abalroamento e outra por saída de pista. 

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade