Publicidade
Domingo, 19 de Novembro de 2017
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Após greve, Comcap recolhe 637 mil quilos de lixo em um dia, em Florianópolis

Força-tarefa envolveu 400 trabalhadores depois da deliberação em assembleia pela volta às atividades

Redação ND
Florianópolis
16/07/2017 às 23H24
Trabalhadores se mobilizaram para fazer a limpeza da cidade após a paralisação de cinco dias - Comcap/Divulgação
Trabalhadores se mobilizaram para fazer a limpeza da cidade após a paralisação de cinco dias - Comcap/Divulgação


Após o fim da greve dos trabalhadores da Comcap (Autarquia Melhoramentos da Capital), que teve início da segunda-feira (10), foram recolhidos 637 mil quilos de lixo em Florianópolis no sábado (15). Depois da assembleia durante a manhã deliberar pela volta às atividades, 400 funcionários se mobilizaram para iniciar a limpeza da cidade. A expectativa da diretoria é de que a coleta convencional esteja normalizada até esta terça-feira (18) e, na sequência, a coleta seletiva e de resíduos volumosos.

Os resíduos recolhidos são o equivalente à carga de 109 caminhões coletores. A Prefeitura de Florianópolis estima que, nesse ritmo, a cidade estará limpa em no máximo quatro dias. Das 9h30 de sábado às 2h30 deste domingo (16), o Siscore (Sistema de Coleta de Resíduos) registrou 76 despachos.

As equipes de coleta, normalmente formadas por garis e motoristas, foram reforçadas por auxiliares operacionais, que trabalham nas funções de varrição e roçagem, por mecânicos e até por garis e gerentes que estavam em férias e voltaram para ajudar.

“Nessas horas, a Comcap mostra que tem brio. Agora teremos economia para fazer os investimentos necessários”, disse o presidente da empresa, Carlão Martins, sobre a lei 618, sancionada pelo prefeito Gean Loureiro (PMDB) nesta semana, que transformou o regime da companhia de economia mista de direito privado em autarquia municipal.

Confira a programação da coleta.

>> Comcap ontem e hoje: dívida acumulada e o que muda com a alteração do regime

No sábado, cerca de 400 trabalhadores recolheram 637 mil quilos de resíduos - Comcap/Divulgação
No sábado, cerca de 400 trabalhadores recolheram 637 mil quilos de resíduos - Comcap/Divulgação



Assembleia de sábado pôs fim à greve

Os sete pontos que prefeitura e Sintrasem concordaram em cumprir na noite de sexta-feira (14) durante reunião no TRT foram colocados em pauta na assembleia dos empregados da Comcap na manhã de sábado. O presidente do sindicato, Alex Santos, apresentou a proposta à categoria de aceitar o acordo e retomar os trabalhos naquele mesmo dia. “Ontem [na sexta-feira] tomamos uma decisão muito acertada, que foi permanecer em greve. A perspectiva para a audiência era muito ruim: sair de lá com a liminar do juiz, dizendo que a greve era abusiva, que o sindicato teria que pagar uma multa e que haveria a terceirização”, disse ele.

Apesar de não conseguirem a revogação da lei complementar 618, que transformou a Comcap em autarquia, Alex acredita que dois pontos foram positivos com a greve: a garantia do acordo coletivo da categoria e a compra de novos equipamentos para a empresa. Com a confirmação pelo fim da greve, a prefeitura de Florianópolis cancelou o contrato de emergência com a empresa TOS Ambiental, que faria a coleta caso os grevistas não voltassem ao trabalho. Segundo o presidente da Comcap, Carlos Alberto Martins, o contrato não gerou despesas para o município.

Agora, a diretoria da Comcap e o trabalhadores da autarquia irão se reunir para apresentar, em até 90 dias, para apresentar um estudo sobre as questões relacionadas aos procedimentos adotados pela autarquia. O conselho fiscal da Comcap também deverá determinar as ações internar de readequação do novo modelo da autarquia.

Redução de custos

Com R$ 222 milhões em dívidas, a Comcap foi transformada em autarquia na tentativa da prefeitura de salvar a empresa pública. O próximo passo será aderir ao refinanciamento do governo federal para receber a Certidão Negativa de Débitos e volta a investir em melhorias para a Comcap.

“O capital humano da Comcap tem um valor inestimável, agora temos de saná-la financeiramente. Garanti ao prefeito que, concluído o plano de salvação da Comcap, teremos economia de R$ 1 milhão ao mês reduzindo custos com peças, combustível e manutenção, horas extras de espera por equipamento e outras correções que vão melhorar as condições de trabalho e segurança”, afirma o presidente, Carlos Alberto Martins.

Entre os pontos acordados entre prefeitura e Sintrasem na última sexta-feira está justamente a compra de novas ferramentas e veículos (incluindo 10 caminhões compactadores) até o início da temporada 2017/2018.

Publicidade

4 Comentários

Publicidade
Publicidade