Publicidade
Quarta-Feira, 14 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 30º C
  • 22º C

Aplicativo de música do Google dará sugestões baseadas na localização e clima do usuário

O objetivo é oferecer playlists adequadas para cada situação, se o usuário está na academia ou estudando, por exemplo

Folha de São Paulo
São Paulo
14/11/2016 às 16H49

FILIPE OLIVEIRA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Google Play Music, aplicativo para streaming de música da empresa norte-americana, passará a levar em conta informações como localização do usuário, clima e atividade que ele está fazendo para dar sugestões de músicas e listas personalizadas.

Os aplicativos começam a ser atualizados nesta semana em 62 países (incluindo Brasil), tanto nos aparelhos com sistema operacional Android (do Google) como também iOS (dos dispositivos da Apple).

A partir de agora o serviço usa informações como a localização do usuário para sugerir playlists - Divulgação/ND
A partir de agora o serviço usa informações como a localização do usuário para sugerir playlists - Divulgação/ND



A companhia informa que a atualização incorpora ferramentas de "machine learning" (aprendizado de máquinas) no serviço. Ou seja, o aplicativo passa a aprender mais com as interações do usuário com ele.

Assim, é possível que o sistema entenda qual o estilo musical que cada usuário gosta de ouvir quando vai para a academia ou quando estudando e quer música para se concentrar, diz Elias Roman, gerente de produto do Google Play Music.

Roman afirma que, em geral, as pessoas tendem a ouvir um número limitado de artistas quando escolhem o que querem ouvir. As indicações baseadas em preferências e contexto fariam com que a música certa chegasse ao ouvinte sem ele ter de se preocupar, diz.

"Queremos tirar o ouvinte de sua zona de conforto, apresentando a ele coisas que deve gostar, mas que não descobriria sozinho."

Roman afirma que o trabalho das máquinas não substitui a curadoria de humanos no serviço. O que os algoritmos da empresa fazem é entender quais as listas de músicas criadas por especialistas que se adequam melhor para cada pessoa em cada momento, diz.

INTELIGÊNCIA

O aprimoramento do serviço faz parte da busca da companhia por se diferenciar no mercado de streaming, no qual a inteligência artificial é uma das apostas das companhias.

O Spotify, por exemplo, usa inteligência artificial para sugerir álbuns relacionados ao conteúdo que o usuário costuma ouvir em seção do aplicativo chamada "Descobrir".

Já o Deezer permite ao usuário acessar uma playlist personalizada, baseada em seu histórico de uso da plataforma, acessando o recurso "flow".

A nova atualização também modifica o layout do aplicativo, que passa a ter um número menor de "cards", com indicações de artistas ouvidos recentemente, preferidos e semelhantes a algum que o ouvinte costuma gostar.

Por vezes essas sugestões indicam que o artista ou estilo de música costuma ser bom para ele em determinado contexto.

Para momentos sem internet, o Google Play Music passará a contar com uma playlist sempre disponível off-line com músicas que o usuário ouviu recentemente.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade