Publicidade
Terça-Feira, 18 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Alunos ficam sem aula após surto de pulgas em escola infantil de Florianópolis

Secretaria Municipal de Educação acredita que a origem do problema seja um lixão irregular, que se forma ao lado da creche

Marina Simões
Florianópolis
20/03/2018 às 10H32

O NEI (Núcleo de Educação Infantil) Costeira, na Costeira do Pirajubaé, em Florianópolis, está com as aulas suspensas até quarta-feira (21) devido a um surto de pulgas, que ocorreu na semana passada. A unidade foi dedetizada no sábado (17), mas o procedimento precisou ser repetido nesta segunda-feira (19) e uma nova vistoria para certificação da eliminação dos insetos será feita.

A SME disse que local já foi limpo inúmeras vezes, mas novos resíduos são descartados - Israel Mendes Júnior/ND
Local já foi limpo, mas novos resíduos foram descartados - Israel Mendes Júnior/ND


A SME (Secretaria Municipal de Educação) acredita que a infestação tenha origem em um lixão, que se forma periodicamente nas imediações da unidade. A secretaria informou que este ano a prefeitura limpou inúmeras vezes o local, onde a população continua depositando os mais variados resíduos. Na manhã desta segunda-feira, foi feita uma limpeza na área onde o lixo estava acumulado.

Ismael Mendes Júnior foi surpreendido pelo aviso da suspensão das aulas quando foi levar seu filho, de 4 anos, para a creche. De acordo com ele, o problema de acúmulo de lixo no terreno ao lado do NEI é antigo. “Quando cheguei, eu vi o caminhão da Comcap saindo. Eles limparam o lixo, mas ainda tem água parada, o que pode trazer outros problemas”, disse.

Comcap quer aumentar a fiscalização na área - Ismael Mendes Júnior/ND
Comcap quer aumentar a fiscalização na área - Ismael Mendes Júnior/ND


A assessoria de comunicação da Comcap informou que o município gasta mais de R$ 1 milhão ao ano para manter limpos quase duas centenas de pontos de descarte irregular e que esta prática é um crime ambiental. Segundo a autarquia, no caso da creche, a prefeitura será acionada “para aumentar a fiscalização no local, de forma a identificar e punir os infratores” e os moradores também podem ajudar a mudar a situação através de denúncias.

O caso da NEI chamou atenção após o vereador Maikon Costa (PSDB) fazer uma denúncia em suas redes sociais. Muitas pessoas responderam a publicação com comentários em que demonstravam sua preocupação com a situação da unidade e a saúde das crianças que frequentam o local. “Cansei de mandar indicações e nada acontecer. Muito triste isso, ter que recorrer às redes sociais para que alguém tome providências”, disse Maikon, que já está alertando para o problema do lixo desde novembro de 2017.

Além da NEI Costeira, o vereador também alerta para faixas de pedestre apagadas, buracos na via e bueiros que precisam de reparos próximo à escola Júlio da Costa Neves, escola Adotiva e escola Anísio Teixeira, problemas que já foram relatados por ele, que cobrou as devidas providências.

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade