Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Alunos aprendem francês na beira do mar de Santo Antônio de Lisboa, em Florianópolis

A professora veio de Paris há cinco anos e decidiu dar aula na areia para que os alunos também possam aproveitar a praia

Raquel Cruz
Florianópolis

O quadro do professor vira a areia, a carteira dá lugar à cadeira de praia e o caderno e a caneta cedem a vez para o protetor solar – dependendo da previsão do tempo. A praia, em Santo Antônio de Lisboa, ganhou frequentadores assíduos para esta temporada de verão, mas eles não têm o propósito apenas de curtir um dos pontos turísticos mais tradicionais de Florianópolis. É à beira-mar, sob o embalo das marolas, que um grupo de pessoas faz aulas de francês na Capital.

Débora Klempous/ND
Véronique Berthier dá aulas para pais e filhos, adultos iniciantes e de conversação

 

“É um lugar histórico, todo mundo gosta daqui. Tem boas energias”, dispara logo de cara Véronique Berthier. A pronúncia da letra “R” mais carregada que o normal para um nativo logo denuncia que a primeira a chegar à sala de aula a céu aberto é a professora. Francesa e moradora da Ilha desde 2010, é ela quem comanda as aulas de francês para crianças e adultos, sempre no fim de tarde em três níveis – do iniciante a quem já desenvolve um diálogo em francês.

Logo na primeira turma, às 17h30, a aula é destinada para pais e filhos que queiram estudar juntos. “A gente se diverte mais ao ar livre. Eu acho um pouco mais difícil se concentrar, porque tem as outras pessoas na praia e o mar, mas o tempo passa mais rápido aqui”, conta Felipe Tomczak, de 10 anos. Acompanhado da mãe, Ariadne, 41, e da prima Isabela, 17, ele é uma das crianças que aderiu à fórmula da professora para aprender o novo idioma neste verão: ao mesmo tempo aproveitar a praia e a folga das férias para estudar.

Advogada por formação, Véronique deixou Paris há cinco anos, depois de vir conhecer Florianópolis durante o Carnaval. Aqui, formou família e começou a ensinar o seu idioma de origem em duas escolas da Capital. A ideia de trocar a sala de aula convencional, conta a francesa, é uma forma de estimular as pessoas a procurar a formação em um período que muita gente quer, também, aproveitar a praia.

 

Último grupo no pôr do sol

Às 18h30, começa a turma dos adultos iniciantes e, na sequência, às 19h30, o último grupo do dia curte o pôr do sol de Santo Antônio de Lisboa para fazer uma hora de conversação. O ritual se repete todas as quartas-feiras na faixa de areia em frente à pracinha da igreja. Depois que a aula termina e o grupo recolhe as cadeiras de praia, recebem o material didático da aula por e-mail para revisar em casa até a próxima semana. Quem se interessar pela proposta e quiser tomar sol aprendendo francês nessa temporada, pode procurar o grupo à beira-mar toda quarta-feira, ou então nas redes sociais. Eles têm a página “Bonjour” no Facebook.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade