Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Alerta de segurança faz Justiça dispensar funcionários em Santa Catarina

A recomendação ocorre após a morte de pelo menos quatro agentes de segurança no Estado no último mês, entre policiais militares e agentes penitenciários

Folha de São Paulo
Curitiba (PR)
31/08/2017 às 18H28

ESTELITA HASS CARAZZAI/ CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - Um alerta de segurança emitido pelas polícias Militar e Federal em Santa Catarina acabou dispensando funcionários da Justiça Federal de irem trabalhar nesta quinta-feira (31). A recomendação ocorre após a morte de pelo menos quatro agentes de segurança no Estado no último mês, entre policiais militares e agentes penitenciários. Na noite desta quarta (30), um policial foi morto a tiros em horário de folga, em Camboriú.

>> Santa Catarina tem quatro mortes de agentes de segurança em agosto

Em comunicado interno, a direção do foro recomendou que o expediente fosse cumprido "preferencialmente em regime de teletrabalho", e que nenhum servidor permanecesse nos prédios da Justiça após as 18h. O atendimento ao público, porém, não foi comprometido -embora os juízes tivessem prerrogativa para reagendar audiências, caso julgassem necessário.

Segundo a Justiça Federal, não houve registro de nenhuma ameaça específica, mas a direção recomendou "a adoção de algumas cautelas".

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina também emitiu um alerta semelhante, recomendando que os servidores estivessem "atentos à segurança pessoal", mas funcionava normalmente na tarde desta quinta. Segundo a assessoria de imprensa, não houve nenhuma ameaça específica contra magistrados ou prédios. A medida era "preventiva".

O governador Raimundo Colombo (PSD) declarou, nesta manhã, que existem "facções criminosas de outros Estados atuando em Santa Catarina", mas não atribuiu as recentes mortes nem eventuais ameaças a algum grupo específico. "Muitas informações são assuntos sigilosos da polícia. Toda nossa equipe de inteligência está acompanhando a situação", afirmou.

O governo de Santa Catarina informou que não poderia dar mais detalhes sobre eventuais ameaças. Em vídeo divulgado na noite desta quarta-feira (30), o comandante geral da Polícia Militar em Santa Catarina, coronel Paulo Henrique Hemm, lamentou as recentes mortes de policiais em ataques no Estado e afirmou que o todo o mal será “repelido com rigor”.

Leia abaixo íntegra do comunicado da Justiça Federal de Santa Catarina.

"Senhores Magistrados e Servidores,

Recebemos alertas de segurança da Superintendência da PF e dos setores de inteligência da PM e da Presidência do TJ. Não há, até o momento, a identificação de nenhuma situação específica envolvendo a Justiça Federal de Santa Catarina. Por essa razão, não há razão para pânico, mas a adoção de algumas cautelas.

Recomendamos que no dia de hoje os trabalhos rotineiros sejam prestados preferencialmente em regime de tele-trabalho. Recomendamos que nenhum servidor, colaborador terceirizado (exceto os de vigilância), estagiário ou magistrado permaneça nos prédios da Justiça Federal de Santa Catarina além das 18 horas.

Audiências, perícias e atendimento ao público deverão ser mantidos normalmente ou, a critério do juiz da Vara ou Cejuscon redesignados para data próxima para fins de readequação da agenda.

Estamos em permanente contato com as autoridades da segurança pública e, caso haja alteração desse quadro, divulgaremos nesses canais: e-mail institucional e intranet."

Publicidade

6 Comentários

Publicidade
Publicidade