Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Aeroclubes catarinenses querem incentivos para se manter

Criação da Federação dos Aeroclubes e do Aerodesporto de Santa Catarina tem a meta de buscar apoio para sobrevivência das escolas de aviação

Redação ND
Florianópolis
Danísio Silva/Divulgação/ND
Luiz Adauto Costa assumiu presidência da Federação dos Aeroclubes e do Aerodesporto de Santa Catarina

Buscar um tratamento tributário especial para a renovação da frota de aeronaves de instrução e para a redução do preço da gasolina de aviação usada nos aeroclubes é uma das metas do primeiro presidente da Federação dos Aeroclubes e do Aerodesporto de Santa Catarina, Luiz Adauto Costa, eleito este mês por representantes de escolas de todo o Estado. Além da formação de pilotos, a federação recém-criada abriga atividades desportivas como o aeromodelismo, o balonismo, o paraquedismo, a acrobacia aérea, o volovelismo (voo a vela, que utiliza planadores), os ultraleves e o parapente.

“Precisamos reverter o esvaziamento dos aeroclubes”, afirma o presidente, que se diz preocupado com um projeto em tramitação no Congresso Nacional que amplia de seis meses para cinco anos a licença para atuação de pilotos estrangeiros no país. “Se for aprovada, a proposta será a pá de cal para os aeroclubes, responsáveis pela formação básica dos pilotos no Brasil. A aviação cresceu 48% no ano passado, o que mostra a importância de nossa atividade na preparação de mão de obra”. Ele defende a criação de linhas de crédito que ajudem a manter os aeroclubes em ação. “É imprescindível que as administrações públicas despertem para isso”, ressalta Costa, informando que um simulador de voo, por exemplo, não custa menos de US$ 40 mil.

A Federação dos Aeroclubes e do Aerodesporto de Santa Catarina também tem o objetivo de promover a integração e o congraçamento entre os diferentes segmentos da aviação que estão sob o guarda-chuva do aeroclubismo. Além de São José, onde funciona o Aeroclube de Santa Catarina, outras cidades mantêm escolas de aviação no Estado, como Joinville, Blumenau, Rio do Sul, Lages, Videira, Xanxerê, Chapecó e São Miguel do Oeste. Criada na semana passada, a federação tem 96 sócios.

Luiz Adauto Costa tem como vice, na entidade, Sérgio Probst, de Blumenau, e também preside o Aeroclube de Santa Catarina, que tem sua sede no Sertão do Imaruim, em São José. Este ano, o clube comemora seu 75º. aniversário de criação, e por isso a meta é publicar um livro que conte essa trajetória, dos tempos da aviação romântica ao presente repleto de recursos tecnológicos. Hoje, o aeroclube conta com três aeronaves de treinamento, três instrutores e 40 alunos, dos sete anos em diante.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade