Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Advogada morre após cair de prédio e polícia prende marido, no Paraná

Polícia Civil do Paraná ainda investiga as circunstâncias da morte, mas trabalha com suspeita de feminicídio

Folha de São Paulo
Salvador (BA)
22/07/2018 às 19H35

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - O professor Luís Felipe Manvailer, 29, foi detido na tarde deste domingo (22) sob suspeita de ter matado a mulher, a advogada Tatiane Spitzner, 29, em Guarapuava, centro-sul do Paraná. 

Ela foi encontrada morta neste domingo dentro do apartamento onde o casal mora, no quarto andar de um edifício. A suspeita é que ela não tenha sobrevivido à queda da sacada.

Marido é suspeito de matar a advogada Tatiane Spitzner, de 29 anos - Facebook/Reprodução
Marido é suspeito de matar a advogada Tatiane Spitzner, de 29 anos - Facebook/Reprodução


A Polícia Civil do Paraná ainda investiga as circunstâncias da morte, mas trabalha com suspeita de feminicídio.

O corpo da advogada foi encontrado dentro do apartamento. Contudo, foram encontradas marcas de sangue na calçada em frente ao prédio, no hall de entrada e no elevador. A polícia suspeita que o marido tenha carregado o corpo da advogada para dentro do apartamento após a queda. 

O professor foi detido após se envolver em acidente numa estrada nas proximidades da cidade de São Miguel do Iguaçu, a cerca de 320 km de Guarapuava, de acordo com o delegado Francisco Sampaio, titular da Delegacia de São Miguel do Iguaçu

Ele dirigia o carro da advogada e seguia em direção à cidade de Foz do Iguaçu, que fica na fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em depoimento à polícia, relatou o delegado, Manvailer negou que tenha empurrado a mulher da sacada do apartamento. Ele afirmou, porém, que ela se jogou da janela durante discussão entre o casal.

O caso está sendo investigado pela Delegacia da Mulher de Guarapuava.

Em nota, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), seccional de Guarapuava, lamentou a morte da advogada e cobrou celeridade na elucidação do caso.

"A OAB Guarapuava se solidariza com os familiares e amigos, pedindo conforto a seus corações e forças para transformar a dor da perda em esperança. Transmitimos nossos mais profundos sentimentos", informou. 

Publicidade

1 Comentário

Publicidade
Publicidade