Publicidade
Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 26º C
  • 19º C

Administração da UFSC diz que já tinha conhecimento de investigações

Em nota, a universidade diz que sempre manteve "a postura de transparência e colaboração"

Redação ND
Florianópolis
14/09/2017 às 12H10

A Administração Central da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) emitiu uma nota na manhã desta quinta-feira (14) sobre a operação da Polícia Federal que desencadeou na prisão do reitor da universidade, Luiz Carlos Cancellier de Olivo.  

A vice-reitora, Alacoque Lorenzini Erdmann, está em missão no exterior e quem assume a reitoria interinamente no momento é o Pró-reitor de Extensão, Rogério Cid Bastos. Ele participou de coletiva de imprensa na Polícia Federal em Florianópolis na manhã desta quinta sobre as investigações e a operação e afirmou que a universidade vai contribuir com a polícia nas investigações. 

Pró-reitor de extensão da UFSC, Rogério Cid Bastos, assume interinamente a reitoria da universidade - Daniel Queiroz/ND
Pró-reitor de extensão da UFSC, Rogério Cid Bastos, assume interinamente a reitoria- Daniel Queiroz/ND


A universidade diz que "foi tomada por absoluta surpresa", mas que já tinha conhecimentos dos procedimentos de apuração de supostas irregularidades em projetos executados desde 2006.

"Sempre mantivemos a postura de transparência e colaboração, no sentido de permitir a devida apuração de quaisquer fatos de modo a atender as melhores práticas de gestão", disse a Adminsitração Central. 

>> Recursos desviados em bolsas da UFSC chegam a R$ 20 milhões, diz Polícia Federal

O prédio do CSE também está sendo vasculhado pela PF - Daniel Queiroz/ND
Policiais federais cumrpiram mandados judiciais na UFSC nesta manhã - Daniel Queiroz/ND

 

A operação da Polícia Federal foi realizada na manhã desta quinta com o cumprimento de 16 mandados de busca e apreensão, sete mandados de prisão temporária e cinco mandados de condução coercitiva, além do afastamento de sete pessoas das funções públicas que exercem. Ao todo, 105 policiais participam da operação em Florianópolis, Itapema e em Brasília.

>> Reitor da UFSC é preso em Florianópolis por suspeita de desvio de recursos

Segundo a PF, a operação tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa que supostamente desviou recursos em cursos de Educação a Distância da UFSC. O montante chegaria a R$ 20 milhões. 

Confira a nota da UFSC, na íntegra:

"Em razão da operação da Polícia Federal, executada na manhã desta quinta-feira, 14 de setembro, a Administração Central da UFSC manifesta que:

Foi tomada por absoluta surpresa com a condução do Reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, que no momento está acompanhado pelo Secretário de Aperfeiçoamento Institucional, Luiz Henrique Cademartori, na Superintendência da PF em Florianópolis;

A Vice-Reitora, Alacoque Lorenzini Erdmann, encontra-se em missão no exterior, razão pela qual o Pró-reitor de Extensão, Rogério Cid Bastos, assume interinamente a Reitoria;

A Administração Central tinha conhecimento dos procedimentos de apuração, conduzidos pela Corregedoria-Geral da UFSC sobre supostas irregularidades ocorridas em projetos executados desde 2006. Sempre mantivemos a postura de transparência e colaboração, no sentido de permitir a devida apuração de quaisquer fatos de modo a atender as melhores práticas de gestão.

Por fim, aguardamos mais informações sobre a operação da PF para apresentar à comunidade universitária e à sociedade os esclarecimentos devidos.


Florianópolis, 14 de setembro de 2017."

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade