Publicidade
Domingo, 17 de Fevereiro de 2019
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 22º C

'A gente precisa aprovar reforma da Previdência', diz Alcolumbre

"O ministro Guedes me fez uma apresentação sobre a construção da proposta e os líderes no Congresso terão autoridade para discutir os pontos da reforma", afirmou o senador

Estadão Conteúdo
Brasília (DF)
07/02/2019 às 21H32

Após reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o novo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse nesta quinta-feira (7) que os senadores irão acompanhar a tramitação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados para dar celeridade à apreciação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) quando ela chegar ao Senado. "A gente precisa aprovar a reforma da Previdência. O ministro Guedes me fez uma apresentação sobre a construção da proposta e os líderes no Congresso terão autoridade para discutir os pontos da reforma", afirmou o senador. "O Senado tem clareza de que é preciso garantir a aposentadoria para gerações futuras", acrescentou.

Senador Davi Alcolumbre é presidente do Senado com 42 votos - Geraldo Magela/Agência Senado/ Divulgação/D
Senador Davi Alcolumbre - Geraldo Magela/Agência Senado/ Divulgação/D


Esta semana, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a reforma pode ser votada no plenário da Casa até maio, possibilitando a sua aprovação pelo Senado em junho ou julho. Perguntado nesta quinta sobre o tema, Alcolumbre não quis projetar um prazo para aprovação da reforma. "Não posso determinar o prazo da Câmara, mas posso acompanhar. O Senado vai se inteirar das discussões sobre a reforma enquanto ela estiver sendo debatida na Câmara. Com isso, poderemos dar celeridade quando a proposta chegar ao Senado. Os senadores serão telespectadores privilegiados podendo já discutir ao mesmo tempo", disse.

Alcolumbre não quis dar detalhes sobre a apresentação de Paulo Guedes. "Com base no que foi apresentado pelo ministro, tenho a convicção de que os privilégios serão combatidos. O parlamento irá discutir a reforma com tranquilidade e serenidade", completou.

(Eduardo Rodrigues, Brasília)

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade