Publicidade
Sexta-Feira, 21 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 17º C

A campanha está esquentando agora, diz Alckmin após pesquisa Ibope

Alckmin também voltou a reciclar discurso clássico de Ulysses Guimarães, o que já havia feito ao menos no ano passado e em 2008

Folha de São Paulo
São Paulo (SP)
12/09/2018 às 09H38

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em um evento com muitos servidores de prefeituras aliadas e cabos eleitorais pagos, o candidato à presidente pelo PSDB, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que a campanha está esquentando agora e reciclou discurso de Ulysess Guimarães ao dizer que "a caravela vai partir".

Logo após pesquisa Ibope divulgar que o tucano permanece com 9% embolado com outros três candidatos no segundo lugar da disputa, na noite de terça-feira (11), ele participou de ato do PSDB em clube de metalúrgicos de Osasco. O evento começou cheio e foi esvaziando antes da vez de Alckmin falar.

Alckmin fez um discurso focado na economia, em que prometeu que o país cresceria 4% se fosse eleito e que mudaria a forma de correção do FGTS, hoje abaixo da inflação.

No local, parte do público disse à reportagem afirmou que preferia estar em casa naquele horário.

Duas cabos eleitorais já haviam desistido de mexer a bandeira e afirmaram que foram contratadas para atuar em campanha de candidatos por 37 dias, sem folgas, pelo salário de R$ 1.700. Já uma mulher de meia-idade afirmou à reportagem não ter ganhado nada, mas que era funcionária da prefeitura de Jandira (SP) e teve de assinar uma lista de presença.

"O FGTS nos últimos anos foi valorizado menos que a inflação", dizia Alckmin. "A partir do ano que vem o FGTS vai ser corrigido pela TLP [taxa de longo prazo], que é o dobro da inflação".

Alckmin também voltou a reciclar discurso clássico de Ulysses Guimarães, o que já havia feito ao menos no ano passado e em 2008. "A caravela vai partir", começou o discurso, que termina com "Terra à vista! Terra da justiça, da liberdade".

Ao fim do evento, Alckmin foi cercado por correligionários para selfies.

A jornalistas, afirmou que a campanha agora vai "pegar o rumo mais forte". "Nós estamos aí trabalhando para chegar no segundo turno. Uma campanha curta e de chegada", disse ele. "Agora que estamos começando a viajar. E uma campanha muito fragmentada, porque são 13 candidatos. Mas vai caminhar para unificar lá na frente.

Publicidade

2 Comentários

Publicidade
Publicidade