Publicidade
Domingo, 23 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 27º C
  • 18º C

Festa colorida celebra o amor para todos na Beira-mar Norte

6ª Parada da Diversidade reuniu 100 mil pessoas em Florianópolis neste domingo

Martha Ramos
Florianópolis

Fernando Mendes/ND
Evento, neste ano, abordou o tema "Por que o seu amor pode e o meu não"?

 

A Beira-Mar de Florianópolis foi pintada com as cores do arco-íris neste domingo (11), quando foi realizada a 6ª Parada da Diversidade que este ano abordou o tema “O amor é de todos” e a reflexão: “Por que o seu amor pode e o meu não?”, uma forma que os homossexuais encontraram de reivindicar o reconhecimento da união civil. A parada uniu gays, lésbicas, transexuais, bissexuais e simpatizantes de todo o país que se manifestaram com o objetivo de conseguir direitos iguais para as diferentes opções sexuais.

Casados há cinco anos, os paranaenses Márcio e Marcos, dizem que também vão à parada que acontece em São Paulo e no Rio de Janeiro. “O tema abordado nesse ano é essencial para que a sociedade nos aceite, afinal, essa é uma luta pelo direito de amar as pessoas sem preconceito”, comentou Marcos. O casal conhecido como Andy Mix e Valdete Schmidt veio de Joinville para aproveitar a festa da diversidade. “Viemos vestidos de travesti para festejar a união dos grupos homossexuais e o nosso aniversário de nove anos de casamento”, disse Valdete.

“Gosto de usar roupas coloridas em minhas apresentações e o mais importante é nunca repetir um figurino”, contou o travesti Adrini Hayla. “Sou travesti há 16 anos e só me visto com as cores do arco-íris”, falou Michele Neison.  As irmãs Caroline e Michele Ferreira trouxeram as filhas ainda pequenas para prestigiar a festa GLS. “Queremos apoiar os homossexuais para que eles possam ter os mesmos direitos que os heterossexuais” afirmou Caroline.

Já aposentados, Luiz Carlos Portela, de 75 anos e a mulher Maurícia Portela, 66, vieram pelo sexto ano consecutivo conferir a Parada da Diversidade. “Alguns membros de nossa família são gays e nós não somos contra a opção deles, por isso, viemos aqui para apoiá-los e também para mostrar para a sociedade que ser homossexual não é ser doente, é só querer ter como parceiro uma pessoa do mesmo sexo”, falou Maurícia.

Segurança

Enquanto os manifestantes aproveitavam a 6ª Parada da Diversidade de Florianópolis, equipes da Guarda Municipal, da Polícia Militar e de empresas privadas, garantiam a segurança do evento. “Foram 45 seguranças andando por toda a Beira-Mar e mais 12 escoltando os carros alegóricos”, afirmou um dos organizadores do evento, Tiago Maçal que falou sobre o número de participantes da festa. “Em 2011 acredito que esse número aumentou consideravelmente, afinal, é isso que vem acontecendo em todas as edições”, contou Maçal. De acordo com informações da Polícia Militar, cerca de 100 mil pessoas passaram pela Parada da Diversidade deste ano que não teve ocorrências registradas.

Casamento

Duas noivas vestidas de branco chamaram a atenção dos curiosos que passavam pela avenida Beira-Mar Norte neste domingo (11). Isso porque depois de dois e anos e meio de namoro foi realizada durante a 6ª Edição da Parada da Diversidade de Florianópolis, a união estável de Priscilla Matos e Gabriela Pinheiro. “O nosso casamento representa a realização de um sonho que se tornou possível graças às leis que estão sendo criadas para regularizar a união entre homossexuais”, afirmou Pricilla. “Para completar a nossa felicidade agora só falta o reconhecimento da nossa união civil e também nós adotarmos uma criança”, completou Gabriela.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade