Publicidade
Quinta-Feira, 20 de Setembro de 2018
Descrição do tempo
  • 23º C
  • 18º C

Reino Unido entra em estado de alerta após fortes tempestades atingirem o país

A tempestade impediu a circulação de veículos nas estradas, fechou estações de trem, criou problemas para o funcionamento de aeroportos e levou ao fechamento de centenas de escolas

Folha de São Paulo
Londres, Reino Unido
01/03/2018 às 19H49

DANIEL BUARQUE

LONDRES, REINO UNIDO (FOLHAPRESS) - Fortes tempestades que atingem o Reino Unido desde o início da semana fizeram com que a quinta-feira (1º) começasse com o país em alerta vermelho. O Exército foi mobilizado para ajudar a população a lidar com os problemas gerados pelo frio e pela neve, enquanto os britânicos enfrentam as piores condições climáticas em quase três décadas.

Apelidada de “The beast from the east” (a besta do leste) por conta da sua origem na Sibéria, a tempestade impediu a circulação de veículos nas estradas, fechou estações de trem, criou problemas para o funcionamento de aeroportos e levou ao fechamento de centenas de escolas. Até mesmo uma reunião da primeira-ministra Theresa May foi cancelada por conta do mau tempo, e a Assembleia Nacional de País de Gales interrompeu os compromissos do dia.

Prédio das Nações Unidas em Genebra debaixo de neve nesta quinta-feira - Jean-Marc Ferré/ONU
Prédio das Nações Unidas em Genebra debaixo de neve nesta quinta-feira - Jean-Marc Ferré/ONU


Em algumas partes do Reino Unido, o acúmulo de neve passou de 30 centímetros e a temperatura ficou abaixo de -10ºC, situação que não se via desde 1991, segundo a agência de notícias Reuters.

Pelo menos duas pessoas morreram por problemas relacionados ao frio. Um motorista de uma van que bateu em um caminhão na estrada e uma mulher de 75 anos que foi encontrada em uma rua coberta de neve em Leeds.

Na região central de Londres, a neve caiu durante quase toda a quarta-feira (28), continuou pela madrugada e o início da manhã de quinta e segue acumulada ao longo da tarde. A formação de gelo nas ruas e calçadas gerou alertas dos serviços de meteorologia para o risco de derrapagem de veículos e quedas de pedestres. A reportagem testemunhou pelo menos um pequeno acidente enquanto um carro deslizou ao tentar fazer uma curva, subiu a calçada e bateu levemente em um poste. Ninguém ficou ferido.

Com a sensação térmica chegando a -10ºC na cidade, as ruas ficaram vazias na noite de quarta, mesmo em importantes áreas turísticas, como Picadilly Circus, a Regent Street e a Oxford Street.

Os britânicos têm uma relação de quase obsessão pela meteorologia, e é comum haver alertas sobre a chegada de tempestades ao Reino Unido. Desde uma semana antes da chegada da "besta", já se falava sobre os possíveis impactos do frio e da neve, e tabloides alertavam que a tempestade poderia até matar.

Com a queda na temperatura, as redes sociais passaram a tratar a tempestade como "snowmaggedon", um jogo de palavras com neve ("snow") e fim do mundo ("armageddon"). A imprensa local noticia todas as informações sobre a tempestade em tempo real. Em muitas cidades pequenas foi registrada correria para comprar suprimentos, e muitos supermercados ficaram sem estoque.

Alerta para ventos fortes e tempestades de neve

O departamento de meteorologia do governo britânico (Met) alertou que ventos fortes e tempestades de neve devem cair especialmente na Inglaterra e em País de Gales ao longo do restante da semana, intensificados pela tempestade Emma, que deve chegar às ilhas depois de passar por Portugal. "Não saia de casa sem necessidade e leve mantimentos, no caso de você ficar preso na rua", alertou o Met.

O alerta emitido pelo Met é o mais alto que existe. Ele indica que até a madrugada de sexta as condições climáticas devem registrar mais tempestades de neve e fortes ventos.

"A combinação de neve e fortes ventos vai gerar grandes atrasos e cancelamentos no transporte público, e algumas rodovias provavelmente vão ficar bloqueadas", alertou o meteorologista chefe do Met, Paul Gundersen. O sistema público de saúde britânico, NHS, também está em alerta por conta do frio.

A situação é mais grave no norte e no leste do Reino Unido, e atinge especialmente os sistemas de transportes e as estradas.

Segundo a polícia de Durham, no norte inglês, um único trecho de rodovia registrou 20 colisões em uma hora. Em Castle Eden, perto de Newcastle, um engavetamento de 11 carros levou ao fechamento da estrada. A polícia da Escócia emitiu um alerta para que as pessoas não dirijam na estrada com essas condições climáticas.

Cerca de mil carros ficaram presos em um congestionamento de quase 13 km em uma estrada que liga Glasgow a Edimburgo, na Escócia. e estavam sendo aconselhadas a ficar onde se encontravam até a polícia conseguir alcançá-los.

Na Escócia, as escolas da região central foram fechadas pelo terceiro dia e alguns escritórios e lojas também ficaram fechados. O partido conservador escocês cancelou a conferência que aconteceria em Aberdeen na sexta e sábado.

Os dois aeroportos britânicos mais movimentados, Heathrow e Gatwick, alertaram que os voos seriam cancelados nesta quinta-feira. Voos e trens foram cancelados em todo o Reino Unido e a Irlanda. Mais da metade dos trens sofreram cancelamentos ou atrasos no horário de pico em Waterloo, a estação de trem mais movimentada de Londres, e a estação de Paddington foi fechada.

O Exército foi convocado para ajudar em emergências registradas em Lincolnshire, no nordeste da Inglaterra. Eles atuam especialmente no transporte de pacientes e médicos em hospitais lotados de pacientes.

Problemas para manter o aquecimento a gás

Além dos problemas nos sistemas de transportes, o governo britânico alertou que poderia ter problemas para para atender à demanda nacional por gás para o aquecimento em meio à onda de frio nesta quinta.

O National Grid, departamento responsável pelo fornecimento de gás, negou, entretanto que vá faltar energia para aquecer os lares. "A oferta doméstica não vai ser afetada", disse Duncan Burt, diretor do Grid, à rede BBC.

"Devido ao frio extremo, estamos vendo uma alta demanda por gás então emitimos um 'alerta de déficit de gás', que é um aviso para o mercado de que gostaríamos que mais gás fosse disponibilizado", informou um comunicado oficial.

Neve em Paris - Josephine Brueder/Mairier de Paris
Neve em Paris, na França, país que também foi atingido pela tempestade - Josephine Brueder/Mairier de Paris


Efeito da tempestade em outros países europeus

Antes de chegar ao Reino Unido, a "besta do leste" também levou neve e frio a vários outros países da Europa.

A Irlanda também se prepara para a maior nevasca desde 1982, com os transportes públicos interrompidos e as escolas em todo o país fechadas. O mercado de ações irlandês disse que fecharia a partir do meio-dia na quinta-feira e permanecerá fechado o dia todo na sexta-feira.

O aeroporto da cidade suíça de Genebra fechou durante várias horas na quinta (1º) devido ao clima, causando atrasos. Mais de 40 voos foram cancelados.

A França também registrou problemas pela neve. No sul do país, centenas de carros e caminhões ficaram presos em uma rodovia que liga o país à Espanha.

Mais de 15 mil lares ao longo do Mediterrâneo estavam energia elétrica durante a manhã testa quinta (1º), disse a empresa de rede elétrica Enedis.

A tempestade ainda levou neve a todo o norte da Itália durante a noite, trazendo nova interrupção para a rede ferroviária, já atingida no início da semana.

Na Holanda, além do frio houve problemas por conta dos fortes ventos. No aeroporto de Schiphol de Amsterdã, apenas duas das seis pistas de pouso foram usadas durante a manhã. As autoridades tiveram que fechar as barreiras marítimas ao sul de Roterdã para proteger o transporte marítimo.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade
Publicidade