Publicidade
Sábado, 17 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 28º C
  • 21º C

Vale a taça: emocional forte, detalhes e jogo único marcam a decisão do Catarinense 2018

Decisão entre Chapecoense e Figueirense está marcada para as 16h deste domingo, na Arena Condá, em Chapecó

Diogo de Souza
Florianópolis
08/04/2018 às 15H53

Agora vale a taça. Chapecoense e Figueirense decidem o título do Catarinense 2018 neste domingo (8), às 16h, na Arena Condá, em Chapecó, em um jogo diferente, cercado de expectativa e mistério.

Entre tantos clichês do mundo da bola, um deles lembra que uma partida de futebol se ganha no detalhe. Em jogo único e que vale o caneco, essa máxima ganha ainda mais força. Crentes e confiantes dessa condição, Chapecoense e Figueirense apostam suas fichas em treinamentos fechados para o confronto desde domingo.

O Furacão do Estreito, por exemplo, treinou na manhã desta sexta-feira (6) com os portões fechados para imprensa e torcida. Além de manter as dúvidas em algumas posições, o elenco treinou a bola parada, entre elas, pênaltis. Esse cuidado foi salientado em entrevista concedida pelo goleiro Denis e o meia João Paulo.

Figueirense se prepara para final do Campeonato Catarinense (Foto: Divulgação / Figueirense) -
Figueirense se prepara para final do Campeonato Catarinense (Foto: Divulgação / Figueirense) -


Denis garantiu estar preparado em caso de penalidades e elogiou o grupo do Figueirense no qual destacou a “união” como principal virtude. “Em anos de carreira, difícil citar um grupo como esse atual do Figueirense. Todo mundo se ajuda. O grupo tá unido e merece”.

João Paulo, liberado após lesão muscular que o afastou nas últimas quatro semanas, garantiu estar pronto e, como de praxe no mundo boleiro, deixou a escalação na mão do ‘professor’.

Embora o alvinegro tenha mais um treino na manhã deste sábado (7) – aberto ao torcedor, inclusive – o time que encara a Chape deve estar definido, ao menos, na cabeça de Milton Cruz. Dúvidas nas duas laterais e em duas posições na linha de três meias devem crescer até horas antes do apito inicial.

 Vantagem “minimizada” pelo regulamento

Em um modelo que se assemelha a uma Copa do Mundo a partir da final em jogo único, a decisão do Catarinense pode ir do famigerado detalhe até a imponderável cobrança de pênalti.

Juntamente com toda tensão de uma finalíssima, paira uma curiosidade em relação ao comportamento das equipes já que um mínimo erro pode ser fatal. Na coletiva de apresentação da final, o técnico Gilson Kleina tratou de limitar a vantagem do Verdão do Oeste que joga em casa.

“A única vantagem é jogar do lado do nosso torcedor. Mas só isso. Não quer dizer mais nada. É preciso ter o emocional bem forte”, resumiu.

Gilson Kleina fala sobre confronto com o Figueirense (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense) -
Gilson Kleina fala sobre confronto com o Figueirense (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense) -

Treino aberto no sábado e uma dúvida no meio-campo

O técnico Gilson Kleina deve esconder a formatação do meio-campo para a decisão deste domingo. O jogo entre as equipes válido pelo segundo turno, em vitória da Chape por 3 a 2, o treinador utilizou um meio-campo mais leve, com dois volantes e dois meias – Amaral, Elicarlos, Luiz Antônio e Canteros. A dúvida é pela utilização desse desenho, ou um mais fechado, com três volantes, a partir do ingresso de Márcio Araújo na vaga de Luiz Antônio.

Em entrevista na manhã desta sexta-feira, Wellington Paulista, artilheiro e capitão da equipe, lembrou que a experiência nesse momento decisivo pode render frutos. “Jogador quando é mais experiente sabe controlar a ansiedade, encurtar caminhos, como é jogar uma decisão. Temos que estar com o emocional preparado, saber o que vamos fazer. Temos que ter cabeça no lugar e acabar com 11 dentro de campo”, ponderou.

A direção da Chape confirmou um treinamento na manhã deste sábado com portões abertos e atrações extras para atrair os torcedores do Verdão do Oeste. 

Ficha técnica:

Chapecoense: Jandrei; Apodi, Rafael Thyere, Nery Bareiro e Bruno Pacheco; Amaral, Elicarlos, Luiz Antônio (Márcio Araújo) e Canteros; Guilherme e Wellington Paulista. Técnico: Gilson Kleina

Figueirense: Denis; Raul, Eduardo, Nogueira e Diego Renan (Lazaroni); Zé Antônio, Betinho, Ferrareis (Maykon Leite), Jorge Henrique e João Paulo; André Luis. Técnico: Milton Cruz.

Local: Arena Condá; Data: 08.04.18; Hora: 16h.

Arbitragem: Bráulio da Silva Machado, auxiliado por Kléber Lúcio Gil e Helton Nunes. VAR: Rafael Traci, auxiliado por Carlos Berkenbrock.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade