Publicidade
Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018
Descrição do tempo
  • 25º C
  • 16º C

Técnico revela insistência de Neymar para jogar em decisão pelo PSG

O PSG vencia o adversário por 3 a 0, e chamou a atenção o fato do brasileiro atuar no meio-campo

Folha de São Paulo
São Paulo
11/08/2018 às 12H12

PARIS, FRANÇA (UOL/FOLHAPRESS) - A ansiedade de Neymar para voltar a jogar após a Copa do Mundo foi destacada pelo treinador do Paris Saint-Germain, Thomas Tuchel. O alemão preferia poupar o brasileiro da final da Supercopa da França, na semana passada, diante do Monaco –PSG venceu por 4 a 0, em jogo disputado na China-, mas foi convencido pelo brasileiro a colocá-lo em campo.

"O Neymar ficou o tempo inteiro (durante a partida) me pedindo: "deixa eu jogar, deixar eu jogar". Eu pedia tranquilidade, mas teve uma hora que falei: "Ok, você vai entrar, mas joga pelo meio-campo para não se cansar muito", contou Tuchel em entrevista coletiva concedida no PSG na véspera da estreia do Campeonato Francês, diante do Caen, no Parque dos Príncipes.

No confronto, Neymar foi colocado em campo aos 30 minutos do segundo tempo no lugar de Verratti. O PSG vencia o adversário por 3 a 0, e chamou a atenção o fato do brasileiro atuar no meio-campo estando atrás dos três atacantes.

"Foi uma medida pontual por conta da necessidade de preservar o Neymar. Aberto pela esquerda requer uma intensidade maior, com mano a mano, e falei para que iria jogar por ali (meio campo) para não se cansar tanto", explicou.

Em outro momento da entrevista, Tuchel ainda foi perguntado sobre a influência de Neymar no time do PSG. Em resposta carregada de elogios, o treinador colocou o brasileiro com um líder do time.

"Vou te dizer claramente que o Neymar é meu jogador chave. Um dos melhores do mundo, artista da bola, criativo e não podemos colocar muita pressão nele. Ele é um líder, e na minha visão quando ele está contente, contagia todo mundo, controla o jogo é inspira os outros", destacou.

A entrevista de Tuchel foi leve, e o treinador preservou o PSG de críticas pela falta de reforços para a temporada -somente o goleiro Buffon foi contratado-. Embora ainda lembre de discurso passado em que cobrou a vinda de um zagueiro, um lateral direito, um lateral esquerdo e um volante.

"Não posso falar nada de mercado. Temos um último treino antes da estreia. Mas o que posso te dizer é que minha posição de mercado não mudou em nada" finalizou Tuchel.

Publicidade

0 Comentários

Publicidade

Escolha seu time

  • Chapecoense
  • Criciúma
  • Figueirense
  • JEC
  • Avaí
Publicidade